É a isto que chamam “crimes de colarinho branco”!?

19 Ago

No Jardim da Estrela, vi um puto daqueles que ainda não fizeram seis anos mas já são betos até aos ossos, a jogar com a bola do meu filho e a desaparecer subitamente sem deixar rasto. Nem rasto, nem bola.

Nesse mesmo jardim, vi uma velha a roubar – literalmente – os chinelos da minha filha enquanto ela andava de patins. Lá tive que ir atrás dela e obrigá-la a tirar os chinelos da mala, enquanto me segurava para não lhe dar uma galheta de cada vez que fingia que não percebia do que raio falava eu.

Como se isto não bastasse, agora roubaram a cadeirinha do meu puto numa praia do betíssimo eixo Tróia-Comporta. Isso mesmo, numa praia cheia e onde toda a gente abandona carrinhos sem medos, resolveram roubar um carro de 30€ que já estava a precisar era de ir pro lixo.

Anos de margem-sul, anos a somar “street-credits“, anos a presenciar delinquência como deve ser… e para quê!? Para passar a vida a ser roubado por crianças betas, velhas betas e betos em geral. Puta que pariu.

Felizmente já estou no Algarve. Por aqui é só Máfia de Leste, tráfico, crime violento e gatunagem daquela mesmo má rês. E ainda bem. É mais parecido com a margem-sul e sinto-me mais seguro.

Já não aguentava passar os dias a olhar por cima do ombro com medo de ouvir um “Ó querido, tsudo bem!? Que máximo! Então passe pra cá a carteira e cale-se”.

O que seria…

“Ilhas Virgens: Pipizão por estrear, mata treze!”

17 Ago

Estou de férias há uns dias e sem contacto com o mundo real. Podia estar no sudoeste asiático, no meio da América Latina ou a fazer um tour africano… mas não. Estou em Tróia, no meio da betaria, da civilização e com zero índices de exotismo. Ainda assim, não consegui ver um telejornal desde que cá cheguei.

Entre piscina, praia e 976382 crianças atrás de nós… nunca se vê tv. E quando se vê, é de Panda para baixo. Quando finalmente tudo dorme, é hora dos adultos abrirem garrafas de tinto e aproveitar ao máximo aquelas horas em que a vida volta a fazer sentido.

E esta conversa toda para quê!? Para vos dizer que, neste momento, tudo o que sei sobre o mundo, foi o meu mural do facebook que me disse. Uma triagem feita sob critérios que desconheço, brutalmente viciada e que concentra toda a actualidade em três ou quatro notícias.

Ou seja, para mim, actualmente: Portugal continua a arder; as árvores que não ardem, caiem na Madeira e matam aos treze de uma vez (porra… TREZE!??); a maior prioridade nacional é linchar o João Quadros no Terreiro do Paço e, depois disso, discutir os limites do humor pela milésima vez sem chegar a conclusão nenhuma; nos States há uns filhas da puta duns racistas que resolveram regredir quase 100 anos na história e parece que não se pode perder a reportagem que a VICE fez sobre isso; o chão tremeu em Lisboa; o Cristiano voltou a ser Cristiano; e de resto, o mundo resume-se a bóias de flamingos e pouco mais.

Há mais alguma coisa que deva saber ou, para Agosto, este resumo está bom!?


PS: Na Madeira, morreram literalmente a levar com madeira em cima. Nem quero imaginar como seria este acidente nas Ilhas Virgens… “Pipizão por estrear mata treze” seria isto!?

O terceiro fez o primeiro.

17 Ago

Foi ontem que o fez. Devia escrever aqui umas palavras bonitas, como fiz para os outros mas além de ser o terceiro (e sim, o “clichê” de que – três putos depois – “já nem a chupeta lhes limpamos” aplica-se também aos textos sobre aniversários e outras efemérides), também seguiu as pegadas de seu pai e resolveu nascer em Agosto. Sim… o mês em que além de não ter colegas da escola para celebrar, nem na net nos apetece andar.

Seja como for e para evitar contas de psicólogos daqui a uns anos, fica aqui a nota do hattrick que mudou a minha vida fez ontem um ano.

E sim, és o terceiro mas gosto tanto de ti como gosto do meu mecânico e da senhora do café lá perto de casa. Ou seja, exactamente o mesmo que gosto dos teus irmãos.

Foi incrível.

13 Ago

Eu sei que parece mito ou uma daquelas coisas que só acontecem aos outros mas… acabei de dormir uma hora, sem ouvir a voz de ninguém. Zero filhos ou mulher necessitaram da minha prestação de serviços. Juro que estou a falar a sério. Foi incrível.

Toda a gente sabe que os anões são uns “dealers” do pior…

28 Jul

Não me perguntem porque raio estava eu a falar disto. Não é isso que interessa aqui.

Eu: O Paulo Pires vai fazer de traficante na próxima novela da TVI.

Factos Filha: O Paulo Pires!?? Traficante!? A sério!??

Eu: Calma. O Paulo Pires não é traficante. Faz de traficante. É um personagem.

Factos Filha: Sim, eu percebi. Não faz é sentido nenhum. Não tem nada a ver. Toda a gente sabe que os traficantes são mais novos e muito mais baixos.

Não sei onde foi buscar esta ideia mas se forem agentes da autoridade, por via das dúvidas, fiquem atentos a essa escumalha anã com menos de vinte anos. Está-se mesmo a ver de onde vêm os rendimentos dessa turminha. Já para não dizer que é malta para se esconder em qualquer cantinho e ninguém dar por eles.

Não me lixem… a miúda só pode ter razão.

Poeta

23 Jul

Antes de deitar o puto, a mãe disse-lhe que estava muito vento lá fora. Limitou-se a responder: “são as árvores a dançar“. Ou “danxá”, para ser mais preciso.

Tem três. Mas quando tiver dezasseis, AQUILO É QUE VAI SER SACAR!!

Muito bem puto. É continuar o bom trabalho.

É o madeirense com os pés e esta açoriana com as mãos!

19 Jul

Vou já avisando que este post é publicidade ao contrário. Eu explico. É como quando falamos a alguém sobre uma praia deserta mas só para fazer inveja. Queremos que saibam que lá fomos mas não queremos que comecem a ir para lá à maluca. Estamos entendidos? Vamos a isto!

Lembram-se quando há tempos escrevi um texto sobre a mania irritante que as massagistas têm de nos acenar com massagens de corpo inteiro que, afinal, não são beeeeem no corpo inteiro!?

Não se lembram? Maaaau… se vão começar com essa posturinha irritante de que não sou assim tão fixe e que não lêem tudo o que escrevo, não vamos longe. Vão mas é ler e calem-se, até porque tenho escrito pouco e dá-me jeito mais uns clicks no pardieiro. Eu espero.


Já está!?
Muito bem. Continuemos.

Depois disso, recebi uma mensagem de uma seguidora aqui do estaminé, massagista de profissão, a oferecer-se para me mostrar o que é uma massagem “daquelas que não se esquecem”. Claro que pensei logo no que todos vocês estão a pensar… esta quer é festa!! E por causa disso, de seguida, fiz o que faria qualquer homem casado e pai de família. Vi se era perto e respondi de imediato, não fosse o convite ter prazo de validade. Minto. Antes disto tudo ainda fui cuscar a página de tão generosa massagista, só para ver se além de talentosa, também era… ora bem… se também era… como dizer isto… digamos que fui ver se o talento se via “à vista desarmada”.

Confirmada a ausência de aspecto de traficante de rins, lá descobri que ainda por cima aplicava os seus “moves” no Chiado, o que também é bom porque sempre é melhor que ir bater com os costados lá para trás do sol posto. E depois de cinco minutos a explicar à minha mulher que aquilo parecia ser gente com boas intenções e outros cinco a desejar que não fosse bem assim, lá cheguei Envy Health & Fitness Club, para conhecer pessoalmente a Suzi. A tal que se auto-proclamava “massagista de mão cheia”.

O QUE NÃO SE CONFIRMOU!

A Suzi foi uma massagista não de uma mas… de duas mãos cheias! Mas mesmo cheias. Tão cheias que aposto que poderia massajar-me com os cotovelos que continuava a sobrar talento, Caraças… uma hora a não acreditar no quão bem aquilo me estava a saber e o resto do dia a flutuar. Dirão as más línguas, neste caso a dela, que cheguei a adormecer e a roncar durante o sono. Sabemos todos que isso não é verdade e que sem vídeos, nada o poderá provar. Além disso é açoriana e depoimentos nessa “língua” não são aceites em tribunais do continente. Acho que estou safo.

E O QUE É QUE TAMBÉM NÃO SE CONFIRMOU!??

…não se confirmou a possibilidade daquele ser um espaço onde se prometem massagens de corpo inteiro e, pasmem-se, se fazem massagens de corpo inteiro. Uma vez mais, enchi o meu corpinho balofo com a esperança de que desta vez fosse diferente… que finalmente, fizessem o que está implícito nas palavras “corpo inteiro”. Mas não. Para não variar, apesar da massagem de sonho, foram feitos atalhos que deixaram partes deste “corpo inteiro” ao abandono. Devoluto. Sem que ninguém aproveitasse o facto de ali estar, igualmente tenso e cheio de pontos de stress e coiso.

Enfim. Um sítio fixe, uma massagista espectacular e o resultado do costume. Não vale a pena lá irem. Até porque eu voltarei seguramente e não estou preparado para dividir a Suzi convosco. Era só mesmo para meter um nojinho pós-almoço.

Agora vá, peguem nessas dores de costas e vão trabalhar.
Não tenho culpa que não vos tenham oferecido a massagem a vocês.
Cambada de invejosos que só estão bem é a desdenhar.

%d bloggers like this: