TRÊS COISAS QUE ME EMOCIONARAM ONTEM:

25 Mar

1 – O meu filho falou com os amigos do colégio por videochamada e, alguns deles, ao reverem os outros, choraram. Talvez por não perceberem bem esta tensão instalada, por estarem fartos, por terem saudades da escola, não sei. Mas percebe-se aqui o quanto também os afecta a eles.

2 – O meu puto que, entre a casa do pai e a da mãe, até tem estado a levar isto bem, ontem (que fazia anos e já tinha andado a distribuir os convites para a festa) perguntou directamente se já sabemos em que dia exactamente vai acabar isto do corona. Uma coisa é fechar a escola e ter sempre os pais em casa, outra é lixar-lhe o aniversário.

3 – Uma vez que não apareceu ninguém na festa do puto, POUPEI UMA PIPA DE MASSA! YES!!! Já lhe expliquei que que tenho culpa que não tenha amigos ou que os amiguinhos tenham nojo dele e medo de apanhar doenças na festa dele. Pode ser que comece a perceber que quando chamo para o banho, é pra vir logo e sem mais conversas!

Super-Manny Day!!! …was yesterday.

25 Mar

Desconhecia a palavra covid19. Na verdade, não conhecia sequer as 18 versões anteriores. Não fazia ideia de que corona poderia ser mais do que uma cerveja ou nome de craque mexicano. Estava longe de acreditar que isto das pandemias podia mesmo saltar dos ecrãs de cinema, fechar-nos em casa e, por uns tempos, congelar beijos e abraços.

Adiar beijos e abraços? Não me lixem! A 24 de Março de 2014, tudo o que queria era encher-te de beijos e abraços. Foi o que fiz naquela sala rodeado de pessoas com máscaras e toucas… e foi o que jurei fazer toda a vida.

Seis anos depois, o mundo voltou a encher-se de máscaras e parece que saltámos para dentro de um dos filmes mais estranhos que já vimos.

Aparentemente, anda aí um vírus que nos adiou a festa mas hoje, qual Roberto Benigni, prefiro fazer-te acreditar que o mundo está de máscara para te homenagear, com o que se usava no dia em que viu nascer um herói. Os teus amigos estão presos em casa mas o Vírus-vilão que se cuide… tu não vais deixar isto assim!

Com o poder de ser o puto mais fixe de sempre, Super-Manny de seu nome, faz hoje 6 anos e apresenta-se ao serviço para salvar o mundo (vai é precisar de uma capa maior, porque lhe darei beijos por todas as pessoas que não o poderão fazer hoje)!

Prepara-te vírus, you are going down motherfucker!

#paTRInidade #FestaAdiadaFestaAbençoada #factosfilhodomeio

Se o corona fosse mas é pro c*r@£ho…

13 Mar

Operação ao joelho. Um mês em casa. Perna esticada e mimos. Filmes e séries. Gozar com os amigos que estão enfiados no escritório. Era tudo o que eu queria por estes dias. MAS NÃO…

O mundo inteiro, sim, porque não foram duas ou três pessoas. O MUNDO INTEIRO RESOLVEU PRECISAR DE UMA QUARENTENA, EXACTAMENTE DURANTE OS DIAS EM QUE ERA SUPOSTO EU SER UM PRIVILEGIADO POR ESTAR FECHADO EM CASA! Mas será possível!? Exactamente nos mesmos dias em que a atenção devia estar toda focada em mim!?

Então esse joelhinho? Estás a recuperar bem? Precisas de alguma coisa? Se precisares de alguma nude, diz! Ai que sol tão bom… que inveja do Factos na esplanada, enquanto o resto do país trabalha…”.

MAS NÃO. Ninguém pode ir à praia, ninguém pode ir para esplanadas, ninguém pode andar em cinemas e está tudo em casa como eu. Tudo!!! Com a vantagem de que podem estar aos saltos em casa e eu ando de muletas, a arrastar um joelho todo inchado. Porquê porra!? Este era o meu momento. Custava assim tanto não inventar merdas nesta altura específica!??

Enfim. É certo que quem nasceu para lagartixa, nunca será jacaré mas vou já avisando… VOCÊS ESTÃO A TRABALHAR A PARTIR DE CASA! Trabalhar continua a fazer parte da equação, por isso, farei questão de estar atento e enviar cada story vosso para o mail dos recursos humanos das vossas empresas, só para garantir que os vossos chefes vêem o rico tele-trabalho que vocês estão a fazer.

E isto não é dor de cotovelo, é desgaste de tanto cumprimentar pessoas com o mesmo. E civismo! Vão trabalhar! Estão avisados.


Para privado, esperava “mais”.

10 Mar

Sinto que os hospitais, no que à utilização da palavra “privado” diz respeito, têm muito a aprender com outras casas que se notabilizaram – precisamente – por esse espaço. O privado.

É verdade que tenho um quarto só para mim e uma profissional (bem gira por sinal) à distância de um botão e sempre disposta a fazer o que lhe peço.

É de valorizar que a cada 8horas troquem esta por outra, igualmente dedicada.

Gosto que, além da cama articulada, ainda tenham um cadeirão para o caso de me apetecer mudar de posição e, pormenor delicioso, uma tv onde posso ligar uma câmara para ver o que bem entender.

NO ENTANTO, também é verdade que para o que estou a pagar aqui, esperava mais do que preliminares e conselhos sobre exercícios que posso fazer sozinho em casa.

“Sozinho em casa”, foi precisamente o que me motivou a pagar um balúrdio por um hospital que apregoava ser um autêntico “privado”.

#tiropelaculatra #omelhorficouporfazer

Ainda não viram o lado negro da vida…

19 Fev

Os meus putos não fazem mesmo ideia do que é a vida das crianças “institucionalizadas” ou dos horrores que passam as vítimas das redes internacionais de tráfico infantil. Talvez andem a ver muito Panda e pouca CMTV mas juro pela minha vida que SE VOLTAM A PISAR-ME OS TÉNIS NOVOS com a descontração com que o fazem 174 vezes por manhã, eles vão descobrir.

Ai vão, vão… ai vããão… ai se vão!!!

E agora, vou só ver se acalmo a respiração e se abrando os tremores nas mãos, porque ainda estou com vontade de voltar atrás só para espancar o mais novo em frente aos amigos do colégio. Cabrãozinho descarado.

#segurançasocial #estouaavisar #paTRInidade

Se pudesse ser um Martin Luther Ronaldinho Gaúcho King… isso é que era fixe.

17 Fev

Agora que já todos passámos o dia a mostrar a nossa indignação perante comportamentos racistas, dissertámos ao almoço sobre o que raio terá efectivamente sido dito, o que terá feito o Marega para espoletar tal comportamento e, em última análise, se afinal somos ou não um país de racistas… eis que chega o maior pensador dos tempos modernos, para ajudar a esclarecer essa questão.

Eu, pois claro, havia de ser quem!? E nem sequer vou puxar da cartada “crescer no Miratejo” ou destrunfar o mais valioso segredo do meu jogo… a avó preta.
|
Pois é… a minha avó Aurora era preta e isso é um género de “licença para matar”, um “free pass” para não ficar na prisão do racismo e dizer merdas que até os meus amigos pretos têm que aturar (menos o @franclim_furtado, esse cabrão bloqueou-me no facebook porque já não aguenta os gozos que lhe dou e tem menos paciência para mim, do que o Mendy tem para o Bernardo Silva. E logo agora que dá imenso jeito ter muitos amigos pretos no facebook, ele faz-me isto… mas tudo bem, disso trato depois). Se fosse nos states, a “avó preta” seria um género de “hummm… talvez este gajo possa dizer ‘nigga’ desde que tenha um ‘nigga’ por perto que assegure as suas origens”.

Com isto tudo, não destrunfei a minha arma secreta nas disse-vos que a tinha. Vai dar ao mesmo. Caguei.

O que quero dizer nisto tudo é que o racismo não se mede no comportamento correcto perante o outro. A isso, chama-se civismo, educação, bom-senso, o que quiserem. Mas não define tudo. Para mim, o racismo define-se para dentro e com a única pessoa que sabe efectivamente o que sentimos. Nós mesmos.

Se estão na dúvida se Portugal é um país racista, esqueçam o que dizem na mesa do almoço e pensem apenas isto: “se pudessem decidir, sem que ninguém soubesse, que a vossa filha não casasse com um preto/cigano/etc (independentemente de desejarem toda a igualdade do mundo para todos), abdicavam dessa possibilidade ou, já agora, evitavam um ou outro desconforto na família e continuavam na luta “pelas filhas dos outros!?“.

Não precisam de dizer o que fariam. Pensem apenas no que vos deixaria mais confortáveis. Isso que está agora nas vossas cabeças, é a resposta para o que perguntavam há pouco. Simples.

(Se forem pretos e responderem que adoravam que a vossa filha acabasse com um preto, só para estragar isto tudo, quero que vos caia um dente com a piadinha e que vos nasçam umas asas de morcego na nuca. Em néon amarelo.)

Posto isto… e estando completamente confortável com o que decidiria nessa situação, deixem-me dizer-vos que me chateia isto do Marega agora estar a dar uma de Martin Luther King. Estarei sempre ao lado dele mas porra… a ter que encarnar o espírito de alguém, preferia que começasse a armar-se em Ronaldinho Gaúcho, Samuel Eto’o, George Weah ou outro do género. Dava tanto jeito.

Índice Elevador

13 Fev

Querem avaliar o nível de auto-estima de uma pessoa? Vão ao seu feed e vejam quantas fotos tem num elevador (ao espelho, vá..). Nenhum outro indicador será tão fidedigno.

Carradas?

Considera-se, definitivamente, uma pessoa bonita. Relembra-se disso de cada vez que se vê e não quer privar o mundo de tamanha beleza.

Algumas, não muitas?

Está na dúvida. Não se acha nada de deitar fora mas… sei lá… os outros acharão o mesmo!? Da outra vez, teve muitos likes e até houve uns comentários simpáticos, além das amigas avençadas que adoram tudo. Houve até quem comentasse com o emoji da labareda (sem contar com Alberto da contabilidade, que põe “foguinhos” em tudo o que mexe).

Poucas?

Epáá… eu sei lá. As outras fazem isto, porque raio não hei-de fazer também? Não fiquei lá muito bem, é certo… ou fiquei? Não gosto nada de me ver assim. Isto é tão ridículo. Vou pôr na mesma, que se lixe. Isto não é para me mostrar, a foto é que até está fixe. Não está!? Não sei. Não gosto disto. Hmm… agora já está mas tão cedo não volto a postar destas coisas. Que vergonha. A menos que tenha mais likes do que estou a contar. Mas se calhar também são likes de simpatia. Um género de “boa… nada como te sentires bem contigo! Cada um é como é. Tadinha.”. Que desconforto. Eu realmente valho mais pelo que digo e não pelo que pareço. Oh!!! O Alberto comentou com um foguinho!? Ooolha… vai daí.

Uma foto em 5 anos?

Ok. Níveis de confiança lá em baixo mas caraças.. NESTA FIQUEI FIXE, NÃO ME LIXEM! Se afastarem o telemóvel o máximo possível, franzirem os olhos e colocarem o ecrã assim virado para lá, até dou ares àquela pessoa que fazia aquele papel naquele filme… ai.. aquele que não me lembra agora o nome.

Zero?

Não vale a pena. Não é a minha cena. Pouca confiança ou, por outro lado, muita noção.

E é isto. Confiram. Nunca falha.

Se alguém me perguntou alguma coisa!?

Claro que não. Leram porque quiseram. Burros.

Imagem: GGMF (Gamada do Google à Má Fila).

Vi esta miúda cheia de personalidades e pimba. Quero lá saber de quem é a foto. Aliás, se a visada se sentir beliscada com isto.. é marcar um café. As coisas resolvem-se é a conversar.

%d bloggers like this: