Ela é que esteve mal. Não me lixem!

19 Jun

Empregada: Tem cartão imaginarium?

Eu: Claro que sim. Aqui está.

Empregada: (…)

Eu: Era uma piad… cartão imagi…

Empregada: (……)

Eu: Hmm.. Não tenho.

Empregada: Ok, são 18€.

Porra, era uma boa piada. Não merecia aquela perplexidade perante a estupidez alheia. Ela é que não percebeu!

Anúncios

Estará ao serviço de quem?

16 Jun

Este senhor tinha uma missão. Este senhor, posicionou-se estrategicamente no chão da cozinha e esperou, pacientemente, que o meu pé descalço o descobrisse.

A missão deste senhor, era mostrar-me que essa treta do “amor incondicional pelos nossos filhos”, não existe. Pelo menos, pelo filho que o abandonou em semelhante localização.

Este senhor, cumpriu a sua missão com mestria.

Aliás, estou capaz de acordar os três agora, às 04:20, com baldes de água gelada nas ventas, aos gritos, só para os interrogar e acabar por matar o fdp que deixou o crlh do lego no chão da cozinha. Isto, enquanto os outros dois assistem e fixam bem o que levou ao desaparecimento do irmão. É incondicional é… é incondicional é o crlh!

Ok… Preciso de respirar. E talvez amputar parte do pé direito. Mas eu estou calmo. A sério. Claro que não vou matar nenhum deles.

Claro que não.

Mas será que ninguém se preocupa com a integração das pessoas!??

14 Jun

Estava aqui a pensar nas limitações que o Peter Dinklage (anão do Game of Thrones) terá para arranjar trabalho, agora que terminaram 8 anos de cachet certinho (aposto que era a recibos verdes mas isso, meu amigo, foi a vida que ele escolheu) e é uma tristeza que em pleno Sec.XXI, um anão ainda tenha que se debater com essas dificuldades.

Posso não ser o gajo mais empreendedor do mundo mas porra… ando há anos a dizer que a sociedade desaproveita os seus anões e, ainda por cima, as oportunidades de negócio são mais que muitas.

Até quando teremos que procurar cinzeiros em eventos, quando poderíamos ter anões a passear pela sala com um cinzeiro na cabeça, preso com uma pequena fita como se fosse um chapéu? Custa assim tanto tratar disto? Não me vão dizer que são os custos de produção que estão a atrasar isto, certo!?

E ainda nos eventos, porque raio continuamos a ter que equilibrar o prato na mão e a comer de pé, quando dois anões com uma tábua a uni-los, poderiam ser uma bancada de apoio perfeita. E móvel! Além de que em “casas da especialidade” poderiam ser anãs e enquanto comíamos… ali com elas à altura de uma bancada… coiso… não preciso de explicar, pois não!?

E vamos continuar a obrigar as pessoas que “deram um jeito às costas” a dobrarem-se e a passar pela tortura de apanharem o seu próprio troco nas máquinas de tabaco, bilheteiras do Metro e sítios com cacifos ao nível do chão!? É esse o respeito que temos por pessoas com a lombar toda lixada!? Onde estão os anões desempregados que, em vez de estarem a receber subsídios do Estado, podiam estar junto a estas vending-machines para nos passarem as moedas!?

E mais óbvio ainda… porque raio não há anões-guia para cegos!?? Os cães são muito fixes e fofinhos e tal…mas não falam! E porra não me lixem. Não me digam que não facilitava para crlh a vida de um cego se, em vez de andar a levar guinadas e puxões nos braços, alguém lhe dissesse: “Por aí não Zé… olha que vais contra a parede ó Zé! Não passes agora que está vermelho Zé! Xiii ó Zé… mas que raio de combinação de roupa é essa!??”. Já para não falar que com isto dos direitos dos animais, não deve tardar muito para que deixe de ser possível explorar os pobres canídeos.

E formar anões mergulhadores para salvamentos em grutas de difícil acesso!?

Epá a sério… tenho que ser eu a lembrar-me de tudo!??

Factos de Treino “Tendinha” dá 5* a esta série.

11 Jun

Breves notas sobre esta série:

– Sinto que apanhei cancro só de ver isto.

– Temo falecer antes do último episódio e não chegar a ver se acabam todos juntos. Na morgue.

– Sustenho várias vezes a respiração para não inalar o ar do computador.

– Vou à janela no fim de cada episódio para espairecer mas agora morro de medo do vento.

– Parece que agora há visitas e merchandising de Chernobyl, sendo que lixado lixado, era vir de lá com metástases licenciadas.

– Há muita hipocrisia à volta deste caso porque anda tudo a falar de crianças que brilham no escuro mas não vejo ninguém ralado com gajos com pilas de 40cm

Agora fiquei com vontade.

31 Maio

Entramos num aeroporto e tentamos agir com naturalidade. Não queremos ser os campónios demasiado excitados com o que está a acontecer. Disfarçamos como podemos. Até porque somos cool… não nos deslumbramos com pouco e já o fizemos inúmeras vezes. É banal para nós.

TREEEEETAS!!! PAREM COM A MENTIRA!!!

Sabemos bem que estamos prestes a entrar numa super máquina que voa! VOA! COM ASAS! COMO AS NAVES DOS FILMES! Por cima das nuvens e a grande velocidade, rumo a um destino que seguramente não é o habitual. Não há cá semáforos, nem filas na ponte, nem o trânsito parado nos principais acessos… isso é para o povão! Para os que estão lá fora, os pobres coitados que não compraram um bilhete para o carrossel mais espectacular de sempre e não podem estar aqui a “ver os aviões”.

Porra! Até musicas se escreveram sobre ver os aviões! Alguém cantou “anda comigo ver o comboio da linha de Sintra”!? E “anda comigo ver os cacilheiros”? Não pois não!? Ora bem… é por isso que se sente que as pessoas que estão num aeroporto acreditam que, por umas horas, são os escolhidos… os que conseguiram entrada na atração mais fixe da feira.

Se estiverem sozinhos então, como é o meu caso neste momento, melhor ainda. Nada bate a aura do viajante solitário, aquele homem misterioso prestes a montar o grande pássaro de ferro e a cruzar o mundo rumo à aventura. Mesmo que vá só para Alicante.

A merda disto, é que quando se compra o bilhete, nunca se sabe se é para o carrossel ou para a montanha-russa. E isso é chato. E dá vontade de fazer cocó. Olha, já estou. Raios. O excitex acaba de ser substituído por cólicas. Tenho que ir.

Digam-me uma pessoa que nunca tenha pensado nisto. Uma!

22 Maio

Sejamos honestos… quem é que, no seu perfeito juízo e ao fim de 78 voltas ao quarteirão, não desejou perder uma perninha, meio braço ou 85% da audição, só para ter um lugarinho destes à porta!? Quem, digam-me quem!!!

Quem é que não tem uma invejazinha de todos os deficientes com direito a lugar reservado nestes bairros impossíveis de estacionar!?

Grandas bosses! Ali… a chegar à hora que querem, sem qualquer preocupação, mesmo à chefe… É chegar, estacionar e ir ao pé-cochinho para casa, enquanto se riem nas trombas dos vizinhos. Porra. Aposto que alguns até fizeram de propósito e agora estão mesmo a curtir os benefícios da golpada. Que é que foi!? Estou a ir longe demais!?? Não me lixem! Longe demais deixei eu o carro e ainda tive que carregar com dois putos de colo até casa. E não tive cá pessoas com peninha a querer ajudar-me só porque o passeio é alto.

Aliás, volto a perguntar… Quem? Mas quem é que nunca ponderou amputar uma perninha, só para poder estacionar à porta de casa? Quem!???

Federação Portuguesa de Quem Não Sabia Jogar Ténis.

21 Maio

Sejamos honestos. Padel é fixe. Uma pessoa diverte-se com os amigos, sua as estopinhas, queima umas calorias mas… não me lixem. O padel está para o ténis como o futebol humano está para as pessoas que gostam de futebol mas sabem que o raio da bola atrapalha nos pés e tiveram que inventar um jogo para a “comunidade de fãs sem jeitinho nenhum”.

Claro que depois se acham verdadeiros atletas olímpicos de “ténis em caixinhas para quem não apanha a bola à primeira” e gastam fortunas em material mas, admitamos, são só grandes “prós” de um desporto a brincar. Tipo conquistadores… mas do Portugal dos Pequenitos.

Ainda assim, gostei muito. Não me entendam mal. Mas eu também gosto muito de jogar às escondidas com os meus filhos e não é por isso que ando por aí de peito inchado a dizer que sou granda jogador de escondidas.

Estamos entendidos!? Vááá… não fiquem chateados. Nada de me atiçarem os vossos golden retriviers. É apenas uma opinião DE QUEM SABE JOGAR À BOLA! (esta frase poderá levantar alguma polémica junto dos detractores que partilham o relvado comigo, eu sei…).

Seja como for, não emitam já um comunicado a banir-me porque gostei muito e quero continuar a brincar aos “betos com raquetes” sempre que me convidarem. Ok?

PS1: Desculpem aparecer com as minhas coisas num saco do Pingo Doce mas porra… são só uns ténis, a roupa de lavar o carro e uma raquete emprestada.

PS2: Peço desculpa também aos meus amigos do Miratejo. Sei que esta foto vos causou calafrios e, num ou noutro caso, más memórias. Mas calma. Ninguém foi de cana. Está tudo bem. #estamosjuntos

%d bloggers like this: