Continuo a preferir piscina.

21 Ago

Cresci a passar férias na terrinha e a ver o meu pai ajudar o meu avô em tudo o que podia, também pra compensar o tempo que não conseguia passar com ele.

Eu, felizmente, passo muito com o meu pai e fujo como posso de todas as tarefas que insinua que poderia fazer.

Hoje, não consegui desviar-me deste tetris de madeiras e, enquanto toda a gente ia a banhos no Algarve, eu estreitei laços afectivos e criei memórias que ficarão para sempre.

Odiei a experiência.

Anúncios

O rapaz que mudou o calendário.

18 Ago

16 de Agosto. O que dizer de um dia destes? Suceder a um feriado em pleno Verão, não será muito diferente do que suceder a um treinador que ganhou tudo. Não é fácil. Com sorte, assinala o começo das férias. Mas por outro lado, há sempre quem esteja a regressar. Se tudo correr bem, dá para fazer uma ponte… melhor que nada.

E nisto, o mês vai passando. Ou melhor… ia passando. Porque em 2016, num país que tinha acabado de aprender a dizer Éder e debaixo de uma onda de calor sem precedentes, o mês parou.

Numa terça-feira que, até então, parecia ser apenas mais um banal dia 16… chegou o Natal. E o fim de ano. E todas as férias, feriados e festas que se possam lembrar. Neste mesmo dia, há 3 anos, chegou o João. O terceiro de uma linhagem que me enche o coração.

Parabéns Jonnhy Boy.

Agora, quem se lixou, foi o dia 17!

Licenciatura em recados mais chatos.

12 Ago

Algum de vocês é solicitador? Alguém me sabe explicar a nobre arte de solicitar? Não será a solicitação, uma palavra cara para a bonita actividade de “pedir coisas e entregar papeladas em Conservatórias”?

Não serão os solicitadores, um grupo de estafetas espertalhões que, para serem mais bem pagos, resolveram criar toda uma classe profissional em torno da arte de fazer recados em escritórios de advogados?

E quem alinhou nisto, ao ponto de haver um curso superior de solicitadoria?? Como serão as aulas do primeiro ano deste curso?

Hoje vamos começar com uma coisa simples, solicitar pão. Antes de tudo, treinemos o princípio básico desta profissão… pedir por favor. Repitam comigo: – Solicito dez carcaças, por favor. – Boa tarde, gostaria de solicitar um pão alentejano, já fatiado, por favor. – Por obséquio, ouviu a minha solicitação? Já requisitei duas bolinhas de mistura há mais de 10min”.

Não sei se será assim… mas sei que os solicitadores são pessoas muito importantes para a nossa sociedade e, principalmente, para mim que tenho coisas importantes nas mãos destes senhores. E se por algum acaso do destino, souberem quem sou… quero apenas reforçar que tenho toda a estima pelo vosso trabalho e solicito que tenham a bondade de me auxiliar (desculpem a forma simplória como solicitei mas não sou licenciado na vossa bonita arte).

E agora, despachem-se.

E ainda se queixam!??

5 Ago

Bom dia. Desaperte as calças e deite-se na marquesa com o rabo virado para cima.

Porra. Fosse a minha vida tão fácil como a deste enfermeiro com quem acabo de ter um “date”. A todos os níveis. Pessoal e profissional.

Terão os enfermeiros noção do quão complicado é, no meu trabalho, colocar uma pessoa deitada de barriga para baixo, calças abertas e rabo empinado para dar mais jeito!?? Nalguns casos, 3 semanas!!!

(E sabe Deus a trabalheira que dá convence-las!)

Mas depois vêm estes gajos cheios de greves e reivindicações. Epá, tenham juízo.

#falardebarriguinhacheia

Minorias… infelizmente para vocês.

19 Jul

É incrível como um simples telhado se pode transformar numa autêntica obra de arte e deixar-vos boquiabertos, enquanto ligam para os vossos amigos “marchands d’art” e questionam o motivo pelo qual não tenho o meu trabalho exposto nas melhores galerias mundiais.

E pensar que saquei esta foto com o telemóvel e o único filtro que usei foi o meu talento… incrível não é!?

Provavelmente nem repararam que isto não é um amanhecer mas sim, o cair da noite. Mas não fiquem tristes. 99,9% da população mundial também não consegue alcançar este nível de sensibilidade para o belo.

No renascimento havia mais malta assim mas agora somos menos.

É capaz de não ser má ideia…

6 Jul

Sonhei que tinha aberto um clube de striptease com pré-pagamento. Era nos Estados Unidos mas a terrinha chama-se Coina e o nome da casa era “Coina… e não só”.

No meu clube, os clientes punham as notas numa máquina que lhes dava uma senha de cor diferente, consoante o valor. Depois, “gratificavam” as bailarinas com essas senhas que, no fim da noite tinham que ser trocadas pelo valor em cartão Continente ou na Note.

Assim, eu tinha certeza que andavam mesmo naquela vida para alimentar os filhos ou para pagar os estudos. Sim, porque nem em sonhos essas sabidonas fazem farinha comigo (ou gastam o seu dinheiro naquilo que bem entenderem…).

É parvo, eu sei.

Mas se já nem acordado sou muito melhor…

Ela é que esteve mal. Não me lixem!

19 Jun

Empregada: Tem cartão imaginarium?

Eu: Claro que sim. Aqui está.

Empregada: (…)

Eu: Era uma piad… cartão imagi…

Empregada: (……)

Eu: Hmm.. Não tenho.

Empregada: Ok, são 18€.

Porra, era uma boa piada. Não merecia aquela perplexidade perante a estupidez alheia. Ela é que não percebeu!

%d bloggers like this: