Também só é Deus para o que lhe dá jeito…

22 Jan

Ok, percebo que Deus tenha mais que fazer do que perder tempo para me dar o Euromilhões mas porra… tirar um bocadinho só para me torcer um pé à mais velha e espetar com um vírus qualquer nos mais novos, para isso já tem tempo e já não está ocupado com merdas mais importantes.

É que até pôs um lembrete, só para passar a noite toda a entupir o nariz do mais novo, de meia em meia hora.

Coerência Senhor, ok!?? Coerência! Se é para ter putos cheios de ranho, manda aí uns 50Milhões.

Amor à dúzia.

15 Jan

Entre carros voadores, teletransporte e viagens no tempo… já só pedia que se conseguisse congelar o presente. Assim, como está agora, naquele limbo entre o “deixa-me dormir contigo” e o “não te aproximes do portão da escola”. Por mim, parava tudo aqui! Até porque quanto mais o tempo passa, mais eu gosto dela e mais longe do portão vou ficando.

Há exactamente 12 anos, peguei-lhe ao colo pela primeira vez na vida e ali ficámos a olhar um para o outro. Ninguém viu nada. Os recém-nascidos são umas toupeiras autênticas e eu, no meio de tantas lágrimas, já não conseguia distinguir um bebé de um chihuahua.

Mas o quentinho dela, o cheiro, os sons que fazia… esses, ficarão para sempre. Hoje, os sons foram outros. Dois segundos depois de abraçá-la, já se ouvia “Paaaai… estás a apertar-me… podes parar… Pai… a sério… pára com isso…”.

Factos Filha, primeira na linha de sucessão ao trono, já conta 12. DOZE!

Raisparta a lei da vida.

#paTRInidade

Sinto-me confiante e prometo vou trabalhar para isso!

13 Jan

Acabei de estacionar. Num lugar legal. À porta de casa. Literalmente. Mesmo à frente. Como acontecia nos tempos de Miratejo em que simplesmente se ia para casa e se estacionava, sem que isso fosse todo um acontecimento.

Mas agora não. Isso já lá vai. Agora sou fino. Agora vivo em Campo de Ourique e só quem vive aqui, sabe como isto pode ter sido o ponto alto da minha vida em 2020.

Quero agradecer a todos os que sempre acreditaram em mim e prometer que não vou baixar os braços. Não esperava conseguir isto tão cedo mas agora quero ir mais longe. Não me quero deslumbrar. Vou tirar algum tempo com a família para processar tudo isto mas a verdade é que, caraças… porque não apontar para um “hattrick de estacionamentos à porta” até ao final do ano!? Sinto-me confiante e prometo que vou trabalhar para isso. É sonhar! Ninguém nos pode tirar os nossos sonhos!

Obrigado por estarem aí e, agora, peço-vos alguma privacidade para poder desfrutar de tudo isto com a família mais chegada. Obrigado!

#deusépai #dofilhodele #objectivo3Xàporta #2020éoano #éacreditar #osonhocomandaavida #eoestacionamentotambém #ouentão_agoraésempreadescer

Leiam nos meus olhos. NÃO É O QUE PARECE!

9 Jan

Estão familiarizados com o fenómeno “mulher aos gritos em vídeos de whatsapp” que visa, única e exclusivamente, a humilhação pública dos incautos que abrem vídeos em público com o som no máximo? Estão?

Pois bem, eu sou a pessoa que envia esses vídeos para toda a gente. Sim, tenho a maturidade de uma criança de 5 anos, num corpo de 40 com aspecto de 70. Vivam com isso.

E como sei o que a casa gasta, o telemóvel deste menino está sempre no silêncio e a guarda nunca descansa. Nunca.

Achava eu.

Há sempre um dia em que a guarda dorme uma sesta e esse dia chegou sem que nunca me tivesse preparado convenientemente para esta situação. Nunca tinha feito um simulacro, não tinha um manual de boas práticas. Nada.

E foi assim, sem qualquer plano B, que experienciei (numa sala praticamente em silêncio porque se estava a gravar um programa de tv), aquela sensação de olhar para montes de gente que não conheço (e outros que agora preferia não conhecer) com aquele ar que tenta dizer “Vocês sabem que isto é uma cena, certo? Que fui apenas apanhado numa partida. Sabem que não estou mesmo a ver porno enquanto pessoas falam sobre trabalho com os meus clientes… certo? CERTO!??”.

Tudo isto com os olhos. E um sorriso forçado. Porque sabemos bem que há coisas que mais vale fingir que não aconteceram.

Escrevo-vos isto ainda com o coração na boca, tamanho foi o susto quando a senhora me desata aos gritos na mão. E a olhar para os pés. A única coisa que consigo ver com a cabeça baixa, carregada com o peso da vergonha.

Mas pronto. É lidar.

Porquê a mim!? Porquê!?

13 Dez

Imaginemos uma casa de banho pública, cuja porta tem um trinco e cuja sanita fica demasiado longe da porta. Um autêntico rectângulo com a porta numa ponta e o trono real na ponta oposta.

Imaginemos agora que, apesar de acharmos que estamos seguros, o que não sabemos é que, por um qualquer motivo de segurança (isto é um hospital), se alguém tentar abrir a porta por fora… ela abre. Isso mesmo. Abre.

Continuam a imaginar comigo!?

Então imaginem aquele momento de aceitação. Aquela sensação de não poder lutar contra o óbvio e de nos limitarmos a olhar para uma completa estranha (sim, estranhA, porque em cima disto tudo, é um wc misto…) e assumir que pronto, estava ali a acontecer a vida como ela é e, provavelmente, como ela não gostaria de ter visto.

É só isto que quero que imaginem enquanto sentem aquela vergonhinha alheia reconfortante.

“Aconteceu com um amigo”, é o que se diz nestas coisas, certo? Eu estou só a contar.

E a aprender a lidar.

Aquecimento globalzinho no peito.

12 Nov

Muito gostamos nós de fotografias de mãos todas cagadas de terra, enrugadas pelo sol e maltratadas do trabalho árduo que dá apanhar o que comemos confortavelmente, num centro comercial com ar condicionado e música ambiente. Dá-nos assim um “aquecimento globalzinho” no peito, saber que não fomos nós a ter que malhar lá com os costados.

Humm… e agora vou beber um café apanhado em florestas sustentáveis, por pessoas que de certeza que adoraram estar lá a vergar a mola por 2€ ao dia… o suficiente para não comerem um exagero e contribuírem para o aumento da taxa de obesidade mundial.

Engordamos nós por eles mas, dessas geografias, nem um obrigado. Enfim, é o mundo que temos.

Público errado.

11 Nov

Nada como fazer aquela conversinha de circunstância do “pois… isto não anda fácil para ninguém…”, com uma pessoa que – ao despedir-se – entra para um Maserati.

Boa Factos.

De certeza que o senhor ficou muito impressionado com a tua pelintrice.

%d bloggers like this: