Sucessão

24 Mai

Em pleno Jardim da Estrela, estão algumas miúdas de bikini. O meu filho só quer ir andar para perto delas e ficar a olhar feito parvo. Se lhe desse liberdade para isso, até ia lá mexer.

A genética é uma coisa mágica.

  

Se isto fosse futebol, ontem teria sido noite de jogar com o Cristiano…

22 Mai

Fernando Alvim, um monstro da rádio, viu como se faz uma entrevista a sério e sentou-se no lugar do entrevistado. Ou então não… citando as palavras de um ouvinte que ligou durante a emissão: “O Factos que se cale porque está para aí a falar pelos cotovelos e eu quero ouvir o convidado!!“.

No dia em que queria estar preparado para mostrar serviço ao Júlio Isidro da era moderna, estava exausto e sem nada de jeito para dizer. Ok… não ter nada de jeito para dizer já é normal mas fazê-lo num dia que já tinha começado há trezentas horas, ainda ajudou mais.

Mas até nisso o Nandinho é grande! Basta fazer uma pergunta que, por artes mágicas, aparece um programa de rádio feito. Feito e com mais 10min que o normal… não tivéssemos nós uma vida e a esta hora ainda lá estávamos.

De soluções para salvar o país a tributos sentidos a Erica Fontes, tivemos de tudo. CLICAI E ESCUTAI. EU ESTOU NO MEIO DE NÓS!

PROGRAMA 5

Tá giro…

21 Mai

Acabei de reparar que este pardieiro que humildemente vos serve, fez ontem quatro anos. Numa noite sem mais nada para fazer e muito encorajado por Lady Factos, lá decidi abrir as portas do estabelecimento.

Desde então, a clientela foi aumentando mas o serviço manteve-se coerentemente medíocre.

Ao reler o primeiro texto, tenho a certeza que também não posso ser acusado de ter prometido demasiado. É o que há e tudo começou assim…

Já sabem como isto funciona…

20 Mai

Para lerem bonitas palavras deste que vos escreve, subordinadas ao tema “Certas e Determinadas Coisas, Nomeadamente Diversas”, basta clicar algures neste texto e serão “internetótransportados” para uma página muito mais digna que esta. Ou melhor, uma página digna e ponto final.

(Seria necessário colocar um “.” depois de escrever “ponto final”!? Huummm… sempre com questões fracturantes para vos deixar a pensar)

Depois de lá estarem, já conhecem o procedimento. É clicar na “homepage” e ler o que as outras pessoas escreveram. Para estupidez, já vos basta a que encontram aqui.

Mas isso já vocês sabem.

desblogue 1

Reparem bem neste arranque de dia…

20 Mai

Salto da cama às 06h40, pronto para provar a mim mesmo que posso continuar a ser gordo sem passar a ser um obeso mórbido. Tudo a correr e com o tempo contado para sair de casa… o puto chora. Vou ver se está tudo ok e era xixi pelas pernas abaixo. Troca fralda, tira calças, corrida para entregar à mãe e sair de casa já atrasado.

Chego ao destino, estaciono no parque e saio a correr. A meio caminho lembro-me da garrafa de água e da falta que me vai fazer quando estiver a morrer. Volto atrás num instante mas ao pegar na garrafa, escorrega-me das mãos e rebola para debaixo do carro. Literalmente. Toca a deitar no chão e a cagar-me todo para apanhar a merda da água.

Começo o treino já atrasado. Nem cinco minutos depois, alguém vomita praticamente ao meu lado. Até aqui tudo bem… nunca tinha presenciado tal coisa e, em abono da verdade, o facto de não ter sido eu já é deveras positivo.

Despacho-me a correr para vir trabalhar mas quando chego ao carro, lembro-me que dei a única nota que tinha a Lady Factos na noite anterior. Conto as moedas do bolso e percebo que me faltam 0,45€ para tirar o carro do parque. Pela primeira vez na vida, reparo que não há caixas multibanco ali perto. Ainda caminho um bom bocado mas rapidamente percebo que, não tarda muito, mais valia vir para o escritório a pé…

Resolvo ir a um café fazer um choradinho para me darem dinheiro em troca de um pagamento multibanco mas o simpático diz-me que não. Um cliente do café, felizmente, faz o que eu secretamente desejava e dá-me o dinheiro que falta. Regresso ao parque mas… apenas para descobrir que a tarifa tinha aumentado e agora continuava a faltar-me 0,3€.

E agora!? Precisava de pedir mais dinheiro a alguém mas se o senhor que me deu uns trocos me visse, ia ficar convencido que tinha caído no conto do “carocho” que anda a pedir o dinheiro que lhe falta para “o bilhete do autocarro”. A missão estava mais difícil… agora tinha que pedir dinheiro no meio da rua e às escondidas.

Vejo um casal de velhotes a sair do parque de carro e não hesito… salto para o meio da estrada e, morto de vergonha, peço-lhes para me darem 0,3€ para tirar o carro do parque. Felizmente acreditaram em mim e lá me deram 0,5€ dos quais nem quiseram receber o troco.

GRAÇAS A DEUS QUE NÃO QUISERAM!!!

Porque vá-se lá saber porque raio, o parque volta a aumentar e desta vez dá um pulo de 0,4€. Não tivessem eles abdicado do troco e a esta hora ainda lá estaria a pedir dinheiro no meio da rua.

Porra… só a mim.

Mas que fresquinho é este?

19 Mai

Se o Al Gore fosse mas é para o aquecimento global que o pariu…

“Filhos do adepto agredido vão subir ao relvado da luz para receber a taça de campeão”

19 Mai

Ou como os seus amiguinhos dirão aos pais que, prudentemente, acharam melhor não os levar a um jogo que poderia dar confusão… “Põe os olhos nisto, seu merdas!!! A ver se para o ano também levas umas vergastadas nesse lombo!“.

Em marketing, chama-se a isto “experiences money can’t buy“.

Eu tenho filhos e já tirei as minhas notas.

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 7.652 outros seguidores

%d bloggers like this: