Arquivo | Uncategorized RSS feed for this section

Digam-me uma pessoa que nunca tenha pensado nisto. Uma!

22 Maio

Sejamos honestos… quem é que, no seu perfeito juízo e ao fim de 78 voltas ao quarteirão, não desejou perder uma perninha, meio braço ou 85% da audição, só para ter um lugarinho destes à porta!? Quem, digam-me quem!!!

Quem é que não tem uma invejazinha de todos os deficientes com direito a lugar reservado nestes bairros impossíveis de estacionar!?

Grandas bosses! Ali… a chegar à hora que querem, sem qualquer preocupação, mesmo à chefe… É chegar, estacionar e ir ao pé-cochinho para casa, enquanto se riem nas trombas dos vizinhos. Porra. Aposto que alguns até fizeram de propósito e agora estão mesmo a curtir os benefícios da golpada. Que é que foi!? Estou a ir longe demais!?? Não me lixem! Longe demais deixei eu o carro e ainda tive que carregar com dois putos de colo até casa. E não tive cá pessoas com peninha a querer ajudar-me só porque o passeio é alto.

Aliás, volto a perguntar… Quem? Mas quem é que nunca ponderou amputar uma perninha, só para poder estacionar à porta de casa? Quem!???

Anúncios

Federação Portuguesa de Quem Não Sabia Jogar Ténis.

21 Maio

Sejamos honestos. Padel é fixe. Uma pessoa diverte-se com os amigos, sua as estopinhas, queima umas calorias mas… não me lixem. O padel está para o ténis como o futebol humano está para as pessoas que gostam de futebol mas sabem que o raio da bola atrapalha nos pés e tiveram que inventar um jogo para a “comunidade de fãs sem jeitinho nenhum”.

Claro que depois se acham verdadeiros atletas olímpicos de “ténis em caixinhas para quem não apanha a bola à primeira” e gastam fortunas em material mas, admitamos, são só grandes “prós” de um desporto a brincar. Tipo conquistadores… mas do Portugal dos Pequenitos.

Ainda assim, gostei muito. Não me entendam mal. Mas eu também gosto muito de jogar às escondidas com os meus filhos e não é por isso que ando por aí de peito inchado a dizer que sou granda jogador de escondidas.

Estamos entendidos!? Vááá… não fiquem chateados. Nada de me atiçarem os vossos golden retriviers. É apenas uma opinião DE QUEM SABE JOGAR À BOLA! (esta frase poderá levantar alguma polémica junto dos detractores que partilham o relvado comigo, eu sei…).

Seja como for, não emitam já um comunicado a banir-me porque gostei muito e quero continuar a brincar aos “betos com raquetes” sempre que me convidarem. Ok?

PS1: Desculpem aparecer com as minhas coisas num saco do Pingo Doce mas porra… são só uns ténis, a roupa de lavar o carro e uma raquete emprestada.

PS2: Peço desculpa também aos meus amigos do Miratejo. Sei que esta foto vos causou calafrios e, num ou noutro caso, más memórias. Mas calma. Ninguém foi de cana. Está tudo bem. #estamosjuntos

Pouco credível… mas ok.

13 Maio

Imaginem que são a Virgem Maria no início do século XX e estão a ver o planeta lá de cima. O mundo não é o que é hoje, é certo. Ainda assim – ou até por isso – imaginem bem o estado de conservação de sítios como as Seychelles e outros paraísos do mundo, sejam praias ou não.

Nesse momento, quando decidem ir à Terra (sim, é assim que as divindades dizem quando resolvem fazer uma aparição.. “vou à Terra”), olham bem lá de cima e depois de uma rápida análise…

…escolhem Ourém.

Ya. Super credível.

Busted!

9 Maio

Fui apanhado pelo “mainovo” a roubar-lhe uma torrada e não estou a conseguir viver com aquele olhar de estupefacção de quem percebe, aos dois anos, que o pai é um desses meliantes que não olha a meios nem a vítimas, na hora de conseguir uma torrada. O descrédito dele a olhar para mim, antes de gritar “raaaaaadas!!!!” e alertar o mais velho para o crime que tinha acabado de presenciar.

Acho que só nos continuamos a dar porque ele sente que vai ser o meu sucessor na nobre arte de amar uma boa torrada. Isso e porque depende de mim para comer e para ir a sítios. No fundo, aceita-me porque não tem outra hipótese.

Para já.

Nós nos 80s. Nós agora.

6 Maio

Talvez a malta mais nova não saiba disto mas já houve um tempo em que tudo o que mais queríamos nesta vida… eram spoilers! Isso mesmo. Spoilers!

Lembram-se de quando éramos putos e alguém chegava do Brasil e dizia que a novela já estava muito mais avançada por lá? Aliás… lembram-se do delírio que era quando alguém dizia “lá, a novela já acabou”. O que fazíamos de imediato!? O que era, hum!??

CONTA TUDO!! COMO É QUE ACABA!? O FLÁVIO VAI MESMO CASAR COM A CLEIDE!? A REGINA DESCOBRE QUE É FILHA DA IVANILDA!?? QUÊÊÊ!? O ROBSON MATA O CLAUDOMIR!??? Xiiiii… ESTOU ANSIOSO POR VER ISSO!

O que raio nos aconteceu para ficarmos tão chateados só porque parece que ouvimos qualquer coisa que leva a crer que talvez – TALVEZ – aquele personagem que tanto gostamos, morra no episódio que já deu mas ainda não vimos!? Em que momento ficámos uns conas que não aguentam não ser surpreendidos!?

Quem é que nunca ficou calado só para não estragar a emoção de quem acha que nos está a preparar uma festa surpresa e depois fingiu que “Não estava mesmo nada à espera que vos encontrar aqui! Eu não acredito!! Opááá… vocês são demais!!”.

Quando? Quando é que tudo mudou!? Não sei. Mas, pelo sim pelo não, aviso já que não quero ouvir nem uma palavra sobre o episódio de ontem do Game of Thrones.

Seria um “throw back sunday”. Bem moderno.

5 Maio

No decorrer das celebrações do dia de minha mãezinha, sugeri que fizéssemos uma reconstituição dos tempos em que eu era pequenino e vivíamos juntos.

Íamos para minha casa e eu ficava no chão a brincar enquanto a minha mãe arrumava a casa toda. Depois, fazíamos uma pausa para lanchar as maravilhas que ela fazia e voltávamos às nossas ocupações até o jantar estar pronto e a casa a brilhar.

Não levou a bem e preferiu vir almoçar fora.

Esquisitinha.

Legado

20 Abr

Eu teria uns 5 anos no máximo. Ainda não tinha entrado para a escola mas nunca me esquecerei das palavras do meu pai. Apesar da idade, lembro-me de sentir que tinha chegado a hora de saber alguma coisa. Algo maior que todos nós, algo que vinha dos nossos antepassados e não podia terminar ali.

Estávamos sozinhos. Pegou em mim, sentou-me no ombro e, depois de uns minutos em silêncio, disse:

Estás a ver isto? Vê com calma. Vê o máximo que conseguires. Vês a linha do horizonte lá ao fundo? Pois bem, tudo o que o teu olhar alcança, pertence à nossa família e um dia será teu…

…TOU A GOZAR CRLH!! ACHAS MESMO QUE SIM!?? Somos o quê!?? Alguns Espírito Santo, não!?? Não tarda muito, fazia o discurso do rei leão e tu aí com essa cara de parvo quase a chorar. Granda totó. Bom, o que te queria dizer é que o nosso reino vai até ali àquela rede. Isso mesmo, está já aqui à frente. Melhor que nada. E mesmo assim, se algum dia aparecer um gajo da Câmara a dizer que roubámos 1metro à via pública, só tens é que te fazer de parvo e fingir que não sabes de nada. Entretanto isto arrasta-se nos tribunais e, com sorte, ainda tens que fazer esta conversa aos teus putos”.

Foi o que fiz agora mesmo.

%d bloggers like this: