Eu sei que parecia outra coisa.

19 Set

Fui fazer uma ecografia à virilha. Não nos alonguemos sobre a necessidade da mesma. Digamos apenas que este menino não olha a meios, nem vê limites, quando se trata de dar prazer a uma mulher. A carcaça já não tem a flexibilidade de outros tempos mas… se é um acrobata do Cirque de Soleil que ela quer, é um acrobata que ela vai ter.

Daí a precisar de uma eco, foi um saltinho. Daqueles com uma perna no ar. E uma mão atrás das costas dela. Enquanto a outra segurava uma mama. E a anca. Com o peso todo apoiado na perna que sobrava. Tudo isto a contrair as nádegas para aguentar mais tempo.

Vá, é redutor mas… chamemos-lhe “saltinho”.

Curiosamente, o nome técnico falava de qualquer coisa “inguinal” e de “partes moles“, o que logo à partida me pareceu ou uma falta de sensibilidade pelos homens em geral ou – pior ainda – uma tremenda falta de conhecimento sobre este menino. E não estou a falar de mim. Estou mesmo a falar “deste menino” que aqui tenho e que me tem acompanhado pelas curvas da vida.

Chegado à marquesa, a assistente do ecografista dá-me as indicações necessárias para o que se ia passar ali e eu, tal como faço quando as hospedeiras começam a debitar aquela lenga-lenga sobre aterragens em situação de emergência, ignorei por completo e pensei: “tá bem… quando isto começar a cair, logo se vê“.

Ela sai e entra o médico. Vê-me com aquele papel vegetal a proteger as calças e pede-me para baixar um pouco mais. Eu, feito parvo e meio a dormir, empurro as calças para baixo mas não o suficiente. Tendo em conta que íamos analisar uma virilha, ainda pergunto: “está bom assim!?“, ao que este se limita a responder bruscamente: “Óóó homem, tire as calças de uma vez…“. Eu que não tenho qualquer tipo de pudor, até me senti um choninhas por ter que ouvir aquilo e assim o fiz.

Neste momento, qual jovem adolescente pela primeira vez numa casa de putas, ali estava eu… deitado, nu na parte de baixo, enquanto a velha e experiente madame se preparava para tratar de mim. E nesse momento, ocorreu-me outra dúvida sobre o comportamento mais adequado ao que se ia passar ali.

Tendo em conta que tinha as jóias da coroa completamente acomodadas em cima da virilha em questão e sabendo eu que é ali que gostam de estar, o que fazer!? Fingir que não tinha pensado nisso e deixar que o ecografista trinchasse a carne com uma mão, enquanto segurava na salada com a outra? Ou ficar a segurar no menino para que ele não o fizesse e, uma vez mais, fazer aquela figura ridícula de quem está com medo de mostrar a pilinha!?

Grandes dúvidas existenciais que me ocuparam o espírito, naqueles breves momentos em que nem médico nem assistente estavam presentes. Tomei uma decisão. Uma vez que não se tratava de uma “doutora gostosa com ar de safadona“, mais valia ser eu a arrumar os despojos de guerra. Iniciei essa tarefa, tentanto perceber – por tentativa erro – qual a forma mais máscula, decente e aparentemente despreocupada de ficar a “pegar nele”.

E é precisamente no momento em que estou no “pega daqui, pega dali”, que a porta se abre de rompante e entra a assistente, tendo tempo apenas para ficarmos uns segundos a olhar um para o outro, sendo que ela tinha uns papéis na mão e eu parecia estar a acariciar uma escritura e duas procurações.

Aii… peço imensa desculpa! Volto depois” – ouço previsivelmente.

Não, não… não há problema. Deixe-se estar. Fique à vontade.” – digo eu de pila na mão. Repito, de pila na mão. Como dizer seja o que for e manter a dignidade, quando nos dirigimos a alguém que não conhecemos (nem estamos em processo de conhecer), com a pila na mão!?

A porta fechou-se. Quando saí, preferimos evitar o contacto visual. Espero que, pelo menos, tenha gostado do que viu e que perceba agora porque raio lá fui fazer uma eco à virilha.

Aguardo pela data de entrega dos exames.

susto-300x166

PS: Imagem gamada da net, como praticamente todas as que são usadas por estas paragens. “Ai mas fui eu que tirei essa foto e a imagem tem direitos…”. Fuck you.

Advertisements

4 Respostas to “Eu sei que parecia outra coisa.”

  1. Sandra Marques de Paiva 19/09/2016 às 17:27 #

    Que linda história. hahahahahaha 😀

  2. Isabel 20/09/2016 às 18:37 #

    És o maior, Factos!
    (e não, não sou a tal Assistente….. 😀)

    Ainda bem que voltaste em força (damn it, de repente tudo encaixa na história da ecografia).

    Primeira vez que comento, pelo que aproveito para deixar escrito que tenho uma admiração enorme por ti.

    Isabel

    • Factos de Treino 20/09/2016 às 19:11 #

      Comenta mais! Comenta sempre! O meu ego doente precisa tanto de te ouvir 😉

      Beijos!
      (eu sei que és a tal assistente… não mintas… esse comentário de quem já viu “coisas” desmascarou-te)

      • Isabel 21/09/2016 às 08:33 #

        Se eu fosse a Assistente dir-te-ia que, após ter visto escritura e procurações, estava a tratar de mandar executar a hipoteca que está registada a favor de Lady Factos 😀

        (a propósito, um beijinho a Lady Factos – lucky her 😉!
        Muitas felicidades para os 5!)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: