Um dia destes, este pardieiro amanhece com as janelas tapadas com tijolos…

27 Nov

Isto anda mesmo ao abandono, não anda!?? Sou só eu que vou pensando nisso ou desse lado também já se aperceberam que isto está pelas horas da morte!?? Se calhar sou só eu… tendo em conta os números, também não foram assim tantos os que caíram na esparrela do pardieiro.

Ainda assim, para os poucos inadaptados que gostavam de passar aqui em busca da dose diária de metadona, as minhas desculpas por este edifício praticamente devoluto.

Ando cheio de trabalho. Mas cheio mesmo. E nem sequer é daquele trabalho bom, tipo: jogar no Futebol Clube do Porto; ser dos Recursos Humanos do FCP no dia em que é preciso chamar o Lopetegui para ser despedido; ser massagista da equipa de voleibol feminina do FCP; fazer companhia às amigas da brasuca que ocupa a ilustre posição de Primeira Dama do FCP… e por aí fora.

É mesmo daquele trabalho que nos enche os dias até às quinhentas. Daquele com clientes aos gritos porque não era nada daquilo que queriam , quando nem eles próprios sabem o que querem. Daquele com mails desagradáveis que nos colocam em causa e nos causam cólicas só de imaginar o que responder. É desse trabalho que os meus dias têm sido cheios. Raisparta ó Natal e mais esta correria consumista… (que “by the way” me paga o salário e a vida glamourosa que levo… motivo pelo qual peço que ignorem os desabafos anteriores).

Enfim. Isto voltará ao normal. Ou, pelo menos, à anormalidade habitual. Não fujam todos. Não arranjem novas salas de chuto. Ou então arranjem porque não sou possessivo… mas não se esqueçam desta.

Vão picando o faceburka do pardieiro e o instagram também. É mais fácil ir mandando uma bojardas por lá… mais curtas e mais rápidas. E agora também ando a curtir à brava aquela coisa do instagram (ou “insta” como dizem os jovens). Passem lá. Mas não esperem grande coisa.

Já sabem o que a casa gasta. Não é muito.
E agora vou bulir.

calipo

PS: A foto clássica “gaja de calipo na boca” não tem nada a ver com nada. Mas eu sei bem a quantidade de porcalhões que andam por aí e que só por isso já clicaram no texto… e de porcalhonas também. Na verdade, de acordo com as estatísticas, até há mais porcalhonas do que porcalhões. Mas se estão à espera de gajos a lamber calipos, tirem daí a ideia.

Anúncios

4 Respostas to “Um dia destes, este pardieiro amanhece com as janelas tapadas com tijolos…”

  1. Isabel P. 27/11/2015 às 20:51 #

    Olha, escreve quando puderes que o pessoal cá está para ler. 🙂

  2. Bruxa Mimi 30/11/2015 às 18:49 #

    Estive uns tempos sem aparecer (mesmo no meu blogue não tenho escrito quase nada), mas há pouco lembrei-me de vir visitar-te, pensando: “Deve haver muito para ler, atendendo ao tempo que passou…”. Não havia muito, na verdade, mas ainda me diverti um bocado. Valeu a pena. I’ll be back!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: