Ter “consciência” é uma merda. Mas deixar provas do crime, é pior…

5 Maio

Subitamente, perante uma das imagens mais fortes de toda a tragédia que se vive diariamente no Mediterrâneo, largo uma piada tão politicamente incorrecta que os portões do Inferno se abriram de par em par e os trompetes de Lúcifer ecoaram frenéticos com a confirmação de que teriam mais um hóspede garantido.

Primeiro, o silêncio. Depois, aquela vontade de provar ao mundo que jamais se riria de algo com tão péssimo gosto. Por fim… Lady Factos solta aquela risada de quem sabe que desceremos juntos às profundezas.

Ainda assim, tentou recompor-se e agir como se não tivesse acabado de rir com aquilo. Perguntou-me, com medo da resposta, se eu ia escrever o que tinha acabado de dizer (pedindo para que não o fizesse, de tão horrível que era). E foi aí que descobri que não conseguia… raisparta os sentimentos de culpa mas… não consegui. Há alarvidades que mais vale não eternizar por escrito.

Mas também ficou clara outra coisa. Se morrermos juntos, quando chegarmos à porta do Inferno, é óbvio que a minha mulher vai fingir que não me conhece e tentar demarcar-se o melhor que puder. Mulheres…

Advertisements

5 Respostas to “Ter “consciência” é uma merda. Mas deixar provas do crime, é pior…”

  1. Sandra Marques de Paiva 05/05/2015 às 09:43 #

    Até fiquei curiosa 🙂

  2. Margarida 05/05/2015 às 10:28 #

    As mulheres sempre foram seres inteligentes (a propósito da última frase do post).

  3. Diana Costa 05/05/2015 às 17:35 #

    Oh! Vá lá, vá lá! Quero saber!!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: