Zanga conjugal = abstinência sexual ?

15 Abr

Estou a almoçar sozinho e os rapazes da mesa ao lado discutem alegremente as suas vidas. Um deles, com cara de quem anda a pão e água há bastante tempo, está f@did# com a vida porque a mulher está chateada com ele e não tem havido “trikitriki”.

E é a olhar para aquela cara de carneiro mal morto que importa dizer que só mesmo na cabecinha complicada das mulheres é que isto faz sentido.

Só mesmo nessas vossas mentes doentias é que frases como “nem penses que ignoras tudo o que te digo e agora vens com ideias…” são algo normal e aceitável de se proferir entre lençóis.

Quando se diz que não se deve levar discussões para a cama, é precisamente para garantir que há um período de tréguas em que as tropas se podem reabastecer de pinanço. Mas desde quando é que questões mal resolvidas e mau ambiente no casal, impedem um homem de querer a sua dose diária de “trikitriki”!?

Não são vocês que conseguem fazer mil coisas em simultâneo!? Então e estar zangadas e pinar ao mesmo tempo!??? Aaaah… pois é! Parece que afinal é só para o que vos interessa.

Assim, jamais governarão o mundo que se lixam…

Nota do sensual autor: “Trikitriki” é um termo pouco utilizado desde o final dos anos 80, para designar o ancestral encontro entre pila e pipi. Injustamente, na minha opinião. Tem boa fonética e remete para uma comichãozinha que todos queremos coçar. Sou defensor da sua recuperação urgente. Tenho dito.

29 Respostas to “Zanga conjugal = abstinência sexual ?”

  1. Mirone 15/04/2015 às 14:54 #

    Até porque se ausência de trikitriki se prolongar, o homem sente-se tentado, quase legitimado, a procurar trikitriki fora e ai é que temos o burro nas couves de vez. 😀

  2. qui scribit 15/04/2015 às 15:03 #

    E toda a gente sabe como a falta de “trikitriki” atrapalha o pensamento do homem, há uma quebra de rendimento e produtividade e assim, todo um país sofre com a abstinência/amuo de uma mulher, não pode ser!

  3. Boneca 15/04/2015 às 15:26 #

    “Trungalhunguice”. Soa bem, toda a gente percebe e também não ofende. Estou a pensar em patenteá-lo.

  4. Língua Afiada 15/04/2015 às 15:26 #

    As mulheres conseguem fazer imensas coisas ao mesmo tempo e quando estão a fazer o trikitriki como lhe chamas conseguem esquematizar uma reunião de trabalho para o dia seguinte se estiverem para aí viradas.
    Só tenho um comentário a fazer a esposa desse olhos de carneiro mal morto é verdadeira e está realmente preocupada com a situação, caso contrário faria trikitriki a pensar no que iria vestir no dia seguinte e era para o lado que dormia melhor.
    Não desejam que as vossas mulheres desassociem a emoção e o sentimento do ato de trikitrikar ou serão meros objetos decorativos dentro da vossa própria casa e nem darão por isso. E quando menos esperarem elas estarão a trikitrikar com alguém que finja pelo menos tentar entender as suas emoções

  5. Anónimo 15/04/2015 às 15:55 #

    Será que a senhora que iniciou a “greve do trikitriki”, não chegou à brilhante conclusão que, não dando , não recebe e acaba por ser altamente prejudicada, também?
    Tssst….Tssst…..

  6. Andreia Agostinho 15/04/2015 às 16:31 #

    1. Por vezes o mal dos moços não é trikinaice com a sua senhora, a qual por vezes tratam como um bibelot quando se lembram que é dia, mas sim em quererem trikinaice com demais moças saudáveis e não darem a devida atenção à que têm por casa.
    Não é só mete-tira, senhores.

    2. Às vezes eles são mesmo parvos e tiram a vontade a qualquer uma. Nesse caso não é birra, é consequência.

    3. Greves de sexo são, e serão sempre, estúpidas.

  7. PM 15/04/2015 às 16:56 #

    Essa to trikitriki lembrou-me a do “frique frique, dá-lhe”: https://www.youtube.com/watch?v=uiKjlw33HOE
    Até acho uma música bem apropriada ao tema! 😉

  8. eugenia 15/04/2015 às 16:58 #

    Acho que te estás a candidatar a andar a penar alguns dias também, FT. Pisas terrenos pantanosos, meu amigo… (conselho de amiga… hahaaha)

  9. Anónimo 15/04/2015 às 20:09 #

    Teremos sempre o trikitriki de fazer as pazes… ou o trikitriki da vingança (riso maléfico)…
    O importante é não deixar de trikitikar 😉

  10. Contos com amoras 16/04/2015 às 19:47 #

    Olhe Factos, é um facto que a mulher é multifacetada, polivalente e faz mil e uma coisas ao mesmo tempo. Tem sempre a cabeça a trabalhar: durante uma reunião, a conduzir, a cozinhar, nas compras, durante outras conversas, etc., etc.
    Agora, se os homens querem trikitriki depois de terem feito alguma… deixo aqui um conselho:

    – procurem redimir-se. Como? Pedir desculpa seria o êxtase, mas como isso é uma tarefa hercúlea para vocês, procurem-na. Façam-na sentir-se única. Mesmo que ela esteja ocupada com outras coisas e ainda aborrecida, façam com que a sua espinha se arrepie sem ela estar à espera. Garanto-vos que vai sorrir, sem vocês verem, claro! E, talvez, empurrar-vos. Mas começa a ceder… Caso contrário, ela não trikitará de todo. E, se o fizer, estará a pensar noutra coisa qualquer.

    A mulher é, de facto, um poço de emoções. E, sem emoção, não há trikitikação!!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: