Pacto de silêncio!?? Desculpem!?? Não percebi…

21 Jan

Sei que chego tarde porque só ontem à noite ouvi pela primeira vez a notícia do alegado pacto de silêncio entre os alunos da Lusófona que, supostamente, sabem o que se passou no fim-de-semana que matou os miúdos no Meco. Mas se esta notícia me apanhou completamente de surpresa como se de um enredo de filme se tratasse, a minha estranheza maior foi quando percebi que isto estava mesmo a acontecer.

Este pacto de silêncio entre alunos universitários, não é uma ideia parva que esteve planeada e, por motivos óbvios, não chegou a consumar-se. Aparentemente, esta cambada de atrasados mentais, está mesmo a armar-se herói de filme que não se “chiba” dos companheiros de armas.

Pois bem. Vejamos então até onde vai a dureza destes guerrilheiros e encham esses PALHAÇOS DE MERDA de porrada. Acreditem que nem vai ser preciso muita.

Não estamos a falar de uma célula terrorista da Al Quaeda, nem do IRA, nem da ETA… basta um leve ensaio da tradicional sova portuguesa e os meninos começam a sujar as suas batinas e a clamar por perdão. E quando isso acontecer, por favor, aviem-lhes mais um bocado só por causa do trabalho que deram às pessoas que lhes estiverem a desfigurar aquelas trombas.

Há gente a sofrer. Pais que ainda não perceberam porque raio morreram os filhos. Pessoas que nunca na vida se poderiam ter preparado para o que aquele dia lhes reservou. Não consigo sequer conceber a dor que invadiu aqueles corações… e os meninos resolvem criar uma Irmandade de Atrasados Mentais e brincar aos segredos!?? Isto quando, provavelmente, até foi tudo um infeliz acidente e ninguém vai pagar por isso.

Isto lembrou-me da velha polémica sobre a utilização da tortura para se chegar a determinados fins. Fico sempre dividido. Por um lado acho que o fim justifica o meio, por outro, admito que há muitos perigos de abuso, etc, etc…

Mas neste caso, como é que eu hei-de dizer… nem acredito que isto esteja mesmo a acontecer. Então se uns putos anormais sabem o que se passou e isso é importante para desvendar um caso destes, não há ninguém (os próprios pais se tiver que ser) que espete uns bananos nas fuças desses cabrões!?? Mas vamos deixar pessoas a sofrer porque os meninos agora não querem contar!??

Então mas os benefícios de uma boa tareia não seriam de aplicar aqui!?
Estarei sozinho nisto!??

meco

195 Respostas to “Pacto de silêncio!?? Desculpem!?? Não percebi…”

  1. eu 21/01/2014 às 18:59 #

    Não estás sozinho. Pelo contrário.
    Mas não é preciso porrada. É levá-los ao Meco logo à noite e empurrá-los mar adentro até contarem… Como viram o que aconteceu saberão escolher o melhor para eles.
    Se optarem por não falar, então que se calem para sempre…. debaixo de água…

    • Factos de Treino 22/01/2014 às 23:57 #

      E achava eu que estava ser duro…

      • Ana 24/01/2014 às 05:44 #

        E achava eu q ja tinha visto tudo! Tanta estupidez q fico sem vontade de dizr nada.. quem merecia porrada sei eu bem quem seria!!

        • All 24/01/2014 às 11:00 #

          Se um irmão/ã teu ou um filho lá tivesse “ficado”, qual seria a tua opinião ?

    • RS Akira 23/01/2014 às 11:47 #

      Concordo inteiramente contigo! A verdade aqui é que os meninos estão a fazer o que sempre fizeram a vida toda, serem compensados pelos papás por asneiras e faltas de educação. Dá muito trabalho educar sem dúvida e assumir responsabilidades por erros também é dar educação por muito que doa os pais devem ser os primeiros a incentivar a uma responsabilização do que se passou naquela noite.
      Possivelmente o menino coitadinho está no seu silencio entre facebooks, ipads, mp4 e as famosas parafernalias que agora se dão aos burros desta geração. Sou da geração seguinte e apanhei muitas palmadas por erros cometidos e até hoje mantenho a máxima de ‘mais vale a verdade que uma alma desasossegada’. Terapeuticamente e religiosamente dizem: ‘ A verdade vos libertará’. Libertem-se!!

      • Anónimo 24/01/2014 às 01:25 #

        Oh palhaco n fales do q nao sabes. Tu conheces algum dos intervenientes da tragedia? Pois eu conhecia e mete.me nojo ver tanta merda de gente e noticia a falarem do q acham q sabem ou do q pensam q imaginam cm funciona…enfim qeq interessa. Nnguem desta gente q faz comentarios q me enojam sabe o q eles seguiam cm as coisas funcionam e cm seguiam as coisas com regras. Infelizmente foram apanhados nesta tragedia. Simplesmente calem.se

        • Elsa Murta 24/01/2014 às 08:31 #

          Olha olha! vê-se mesmo que não tens filhos…. se fossem os teus filhos e eu me enojasse de querer saber o porquê deste drama todo, se a comunicação social se estivesse nas tintas, aí queria saber se continuavas a fazer segredos e a contribuir com estes tipos de respostas…. NÃO HÁ praxe universitária de mérito ou credível que mereça o desaparecimento de vidas humanas, naquele que deve ser a pior maneira de morrer, a encher os pulmões de água, sem entrar ar, e a partir todos os ossos do corpo num horror de ondas de maré viva…. percebeste meu PALHAÇO ANÓNIMO? Podiam era ter levado o Relvas quando andava a tirar o suposto curso superior a fazer essas praxes!!!!!!!!!!!!

        • All 24/01/2014 às 11:07 #

          Seguir “regras” ? Será aceitável alguém obrigar outro a arriscar a vida p entrar p uma “Tuna” ou similar ? Conhecias alguém dos que lá ficaram ? Deveria era ser um irmão/ã teu …

        • Anónimo 24/01/2014 às 13:17 #

          Não sejas idiota… se ainda por cima conhecias alguém deverias querer saber o que se passou.. Estamos a falar de mortes, não de uma dor de barriga!! Os familiares sofrem e querem e precisam respostas! Silêncio não é resposta… se erras, tens de assumir!!

        • Ernesto Lima 25/01/2014 às 00:05 #

          A este Sr. Anônimo quero dizer o seguinte:

          Caso fosse um filha ou filho meu, não tenha dúvida que ia à procura dos que fazem pacto de silêncio e quando tivesse tempo ia à sua procura também, para me explicar olhos nos olhos o que quer isso de palhaço dizer, em caso de mortes. Aliás, em vez de estar para aí a armar ao pingarelho, se sabe alguma coisa só tem de a explicar e não armar-se em defensor do que quer quer seja.

        • Meu D3us 25/01/2014 às 12:51 #

          Duas coisas assustadoras no teu post…o facto achares que o unico problema é “os outros” não saberem “cm as coisas funcionam e cm seguiam as coisas com regras” ou se o facto de seres colega deles, supostamente universitário, e escreveres nesse português de semianalfabeto!

        • Anónima 25/01/2014 às 19:36 #

          Então já não se pode falar, para dizermos o que pensamos??????!!!!! Às tantas, se tivesses feito parte daquele grupo engolido pelo mar, os teus pais estariam juntos, com todos os outros pais, tentando por todos os meios, saberem o motivo de tal tragédia!!!!!!

        • Anónimo 26/01/2014 às 19:47 #

          Es um merdas

        • Anti Herois escondidos no quarto! 27/01/2014 às 12:57 #

          Palhaço és tu otario! Que nem o nome dás, és mais um dos capas negras, valentões, mas em anonimato! Eu sou um dos que entro para vos procurar um a um e vos fazer falar e acabar com esta palhaçada! E por mim, que se ouça a voz do povo, e que ele mesmo faça justiça com as suas próprias mãos!

    • Anónimo 24/01/2014 às 09:40 #

      Pela sua resposta torna-se tão covarde e criminoso como eles se realmente ele é culpado a justiça que tem que condena-lo afinal é para isso que ela existe.

      • Claudio João 24/01/2014 às 10:20 #

        Exmo Sr. Palhaço Anónimo,
        cobarde é quem não contribui para que se faça justiça.pactos de silencio não ajudam e se o rapazinho é inocente, então nao entendo porque razão ha a necessidade do pacto.
        Pelas acções em “proteger” alguem que pode ser responsabilizado criminalmente, não tira a honra apenas à instituição em causa e aos alunos que nela estudam: mancha de forma inegável todos as instituições universitárias e todos os alunos universitários que passam agora a fazer parte do grupo que nao colabora com a justiça. Para isso, ja ca temos os politicos.

        Eu tambem não os conhecia e pelos vistos, ainda bem. Pois aparentemente só aqueles que não os conheciam, a famila e os amigos, os verdadeiros, nãos os como sua excelencia anónima, é que pedem justiça.
        E a familia merece saber tudo o que se passou, para poder seguir em frente, na medida do possivel.

        Faça um favor ao mundo:
        fale o que pensa, para que as pessoas perto de si saibam o quao idiota é.
        E não se reproduza, ja temos demasiados imbecis.

        E mais uma coisinha: cobarde, é quem não se identifica.

        Bem haja Sr. Palhaço Anónimo.

  2. margas 21/01/2014 às 19:36 #

    Sozinho não…somos muitos com a mesma opinião! Sempre participei em praxes e nunca ouvi nada sobre “pactos de silêncio”! Cá para mim algo muito estranho se passou naquela noite para ninguém querer abrir a boca sobre aquilo! E esta gente não tem pais? Os pais do Dux compactuam com esta palhaçada? Não consigo perceber…

    • Maria 22/01/2014 às 21:35 #

      Como mãe também me custa a acreditar na atitude dos pais do DUX… nem uma palavra….

    • Factos de Treino 22/01/2014 às 23:58 #

      Contornos de filme. É o que vos digo.

    • Anónimo 23/01/2014 às 18:13 #

      Falar realmente é fácil, mas se tivesses uma noite com 6 amigos / colegas e eles derrepente morressem todos à tua frente, sem que nada pudesses fazer… 1º Queria ver como ficavas para o resto da vida e 2º queria ver se te apetecia falar para a comunicação social, que a unica coisa que sabe fazer é especular..

      • DannyBoy13 23/01/2014 às 18:48 #

        Primeiro por acaso ja aconteceu algo assim parecido cmg e digo-te uma coisa a unica coisa que mudou e que prestei declaracoes e ESCLARECIMENTOS, e udou tambem o respeito que tenho pela vida. Visto que nao havia culpados pk foi devido tbm a causas naturais, mas houve uma testemunha que se prontificou a acbar com o sofrimento dos familiares so por dar respostas.. a outra grande diferenca e k em Portugal ha sempre quem defenda seja quem for que tenha culpa seja do que for

      • emanphotoart 24/01/2014 às 14:42 #

        De certeza que não se lembrou disso quando foi para lá praxar os outros pois não? vocês precisavam era de praxe a sério, mas praxe militar! aí vocês perdiam a mania de machões e mazonas.. curem-se mas é, nem se lembram que os vossos pais podem estar a fazer montes de sacrifícios para vos ter na faculdade, e se calhar imaginam que o/a filhinho/a é muito bem comportado/a.
        Eu pessoalmente, se entrar no ensino superior, quero ver quem me vai obrigar a fazer figura triste na rua… se quero…

      • Anónimo 24/01/2014 às 21:06 #

        Não é falar para a comunicação social!!!!!!!!!!! É falar com os pais. Eles têm o direito de saber o que se passou com os filhos deles e ele sobrevivente o DEVER de lhes dizer. É assim tão difícil de perceber? Deve ser preciso fazer um desenho…………..

      • Maria Luisa C.lopes 24/01/2014 às 22:36 #

        Toda a razão,tanta asneira que se tem dito,e a comunicação social ,que boa m….a,toda.

    • ME 23/01/2014 às 20:10 #

      Claro que não ouviu porque ninguém esta em pactos de silencio, eu só me questiono como é que as pessoas acreditam em tudo o que lhes dizem quando os jornalistas contam tudo ao contrario das informações que lhes dão! PENSEM LÁ BEM como pessoas que têm nem que seja um bocadinho de cérebro! NÓS NÃO SABEMOS DE NADA ALIÁS só sabe um pessoa que lá estava… e essa pessoa não consegue sequer falar! Vejam se fazem alguma coisa na vida para além da ignorância de falar do que não sabem! ESCLARECIDOS?!UFAAH

      • emanphotoart 24/01/2014 às 14:44 #

        Deves ser mais um dos que adora dar praxe tu… esse silêncio do único conhecedor da história é bastante conveniente. Sabes em que situações ocorre a amnésia seletiva? Informa-te e confronta os factos

    • joao 24/01/2014 às 12:09 #

      nao existe pacto de silencio entre estudantes, o que acontece é o acidente ser mediatizado como esta a ser e algumas figuras quererem abrir a boca para dizer merda!haviam 7 pessoas naquela noite e so uma sobreviveu so ela sabe o que se passou portanto as outras restantes pessoas so tem de estar caladas, isso é o “pacto de silencio” que os media dizem haver, se é incorrecto?claro que nao, nao vou opinar sobre o que nao sei ter acontecido, infelizmente isso nao acontece e os media dao credibilidade a qualque cagalhao que abra a boca…la por estares trajados nao quer dizer que estejam a ser praxados, os 7 daquela noite eram os orgaos maximos da praxe logo nao estava nimguem a praxar nimguem mas sim estavam a prepara um evento praxante vendo locais para o fazerem.o rapaz que sobreviveu nao merece a pressao a que esta a ser sugeito, compreendo a parte das familias de quererem saber o que aconteceu mas tambem elas tem de perceber que o rapaz precisa de tempo para recuperar e contar o que se passou.agora nao é a pressiona-lo que vao saber o que se passou.em relaçao a pessoas como a que gere este blog que fala em violencia como dar porrada a toda a gente, a partir do momento que nao se esta a par dos factos e se acredita em tudo o que se diz nos media temos opinioes como estas…opinioes de merda!!se os pais precisam de saber o que se passou?claro que sim!agora por quem?por pessoas que nao sabem o que dizem?ou pelo o unico sobrevivente?vamos espancar miudos de uma universidade porque apareceu na tvi a dizer que tinham feito um pacto de silencio?entao e o pacto de silencio do passos coelho?nimguem dos que comentou aqui quer falar sobre isso?nao querem bater nesses tambem?PASSIVOS DE MERDA!ja dizia o gato fedorento falam falam falam falam mas nao os vejo a fazer NADA!

      • Rafael 24/01/2014 às 15:56 #

        Queres explicar, do alto desse ser iluminado que me pareces ser, o que raio faz uma testemunha no telejornal, a explicar que os viu a rastejar e de meias rotas e afins? …

  3. Mirone 21/01/2014 às 19:39 #

    Até no pacto de silêncio se vê a cobardia dessa gente. Se não foi na sequência de uma praxe que os colegas foram levados pelo mar porque se calam? Falem e expliquem o que se passou. Mas como são espertalhões e sabem que a lei está do seu lado calam-se.

  4. Nuno Amado 21/01/2014 às 19:55 #

    Não estás sozinho… acredita.
    Se eu fosse um dos pais que ficou sem filho eu acho que esse tipo que sofre de memória selectiva iria por sua própria vontade dormir na esquadra. Seria o sítio mais seguro para ele estar em “silêncio”.
    -_-

  5. Ambrosinni zanetti 21/01/2014 às 20:22 #

    Já agora…Foram passar a noite fora ao meco obrigados…

    Ninguém os obrigou a ir para o meco julgo eu de q.

    Devia tar tudo a arreganhar a tacha antes do mar os levAr..
    Culpados? São todos .. Os que morreram e os que se safaram de esticar o pernil.

    Mas ok .. Já percebi.. Desde que haja um culpado e não seja eu..tá-se bem!!
    E os dramas continuam sem se actuar a montante das situações.

    • Maria 22/01/2014 às 21:40 #

      Em todos os lados que se comenta esta notícia há sempre um defensor do “DUX”, o que me leva a crer que há muita gente da Lusófona por aí… Não me parece que se procurem culpados, o que se procura são respostas a muitas questões… O que se estranha é que se as respostas são simples haja um mundo de cobardia a tentar relevá-las para 2º plano. Os pais querem e precisam de respostas o menino da amnésia selectiva tem apoio de um psicólogo da Universidade… e os pais e família dos que morreram…Tenham dó: respeito era uma coisa que deviam aprender.

      • Anónimo 23/01/2014 às 00:06 #

        Blá blá bla

      • Maria Helena Rosa Gomes 23/01/2014 às 00:10 #

        Como há gente a falar desta maneira até dói!!! com tanto ódio no coração, se fosse um familiar de certeza não falava assim tenha respeito por estes jovens e dos pais deles que estão a sofrer muito!!!

    • Factos de Treino 22/01/2014 às 23:59 #

      Ambrosinni:
      Lá mais para baixo, escrevi umas linhas que procuram explicar que percebo o que queres dizer. Ainda assim, pactos de silêncio!?? Espera ia que já compactuava com isso…

    • Anónimo 23/01/2014 às 04:16 #

      Pergunto… São culpados os que morreram porque?! Por confiarem as suas vidas a colegas que são atrasados mentais e se acham superiores a tudo e a todos?! Fala assim pq nao foi um dos seus talvez se tivesse sido assi
      Nao se falava!!! Nao se quer um culpados, apenas sequer a verdade e nada mais!!! Ou saber a verdade agora tb e crime querem ver!!!

      • mae de anonimos 24/01/2014 às 12:13 #

        anonimo confia-me a tua vida agarra nessa garrafa de gasolina bebe tudo ate ao fim e bota fogo!confia em mim!!

  6. caco 21/01/2014 às 21:45 #

    Conta comigo para lhes acertar com um taco de baseball nas partes baixas enquanto enfio uma tesoura da poda pelas narinas acima.

  7. Pipoca 21/01/2014 às 21:58 #

    Sinceramente parece que estou a ver um episódio do C.S.I….versão portuguesa claro! Sou ex-aluna duma instituição que pretence à lusofona e nunca ouvi falar deste dito pacto de silêncio….Sempre participei em praxes e arraiais académicos mas nunca fomos para a praia! Tendo em conta que estamos a falar de jovens maiores de idade,partimos do principio que ninguém os obrigou a irem para a praia de noite….no entanto estes jovens deviam ter consciência dos perigos do mar principalmente no inverno! Agora se não existissem sobreviventes nunca ninguém saberia de facto o que teria acontecido naquela noite,mas acho que o único sobrevivente deveria ser obrigado a falar,principalmente esclarecer os pais das vítimas que continuam sem respostas!Não sou mãe mas é como se fosse,e se esta situação me acontecesse o sobrevivente já tinha falado à muito tempo…porque eu não gosto de ficar sem respostas nem de viver de suposições!

    • Nuno Velez 22/01/2014 às 21:40 #

      “À muito tempo” ou “há muito tempo”? Quer um conselho? Volte à universidade (a essa ou a outra), recomece os estudos e dedique-se mais a eles do que às praxes e aos arraiais.

      • Anónimo 23/01/2014 às 07:06 #

        E não se diz “pretense mas si pertence” é mesmo altura de voltar para o ensino secundário não para a universidade.

        • mmmmmm 23/01/2014 às 09:04 #

          de tanto querer corrigir….. si presumo que seja sim….estes….
          pseudos….

      • Anónimo 23/01/2014 às 15:18 #

        és doente Nuno!! as pessoas á procura de respostas, preocupadas com o q se passou e pode voltar a passar… e vossa excelência, preocupada em corrigir erros gramaticos e ofender as outras pessoas!!
        Afinal, o q é mais importante nesta discussão ??
        que triste…mundo esta todo doente nao és só tu tranquilo…

        • Nuno Velez 23/01/2014 às 16:13 #

          “Ofender as outras pessoas”?!! Pelos vistos apelar à violência não é ofender: é procurar respostas. O mundo andará doente (afinal o assunto não se circunscreve a um grupo de estudantes em silêncio – engloba todo o mundo), mas aqui está um anónimo saudável. Haja saúde, então! E alguma violência também, já agora…

      • Anónimo 24/01/2014 às 03:13 #

        “à muito tempo” está bem escrito… o há é de haver! Eu odeio erros de ortografia….

        • Nuno Velez 24/01/2014 às 16:11 #

          Santo Deus! Odeia erros de ortografia e acha que para períodos de tempo se usa “à” em vez de “há”?!!!!! Ah, ah, ah!!!

        • Tete 26/01/2014 às 01:04 #

          duh….há muito tempo!!! exacto é de haver, houve muito tempo que passou, há muito tempo.

  8. Rui A. 21/01/2014 às 22:09 #

    Morreram pessoas e estes palermas estão como medo que os papás lhes cortem a mesada!

    • Sylvie C. 22/01/2014 às 13:30 #

      Deve ser isto mesmo… Que vergonha! Mas ainda quero acreditar que algum se vai arrepender e que a verdade vai vir ao de cima. Vem sempre, mais cedo ou mais tarde… Que seja mais cedo…

  9. O Sexo e a Idade 22/01/2014 às 00:20 #

    Não estás sozinho não…

    Agora diz que tem amnésia selectiva; um tareão de cinto havia de lha tirar!

  10. Tamborim Zim 22/01/2014 às 01:04 #

    Totalmente pela carga de porrada.

  11. Liliana 22/01/2014 às 08:18 #

    Uma tareia ainda era pouco.. Então mas que merda de gente é que se acha no direito de esconder dos pais destas crianças, que estarão num sofrimento horrível, os motivos da morte dos filhos?? É de ficar boqueaberto !

  12. Nanda 22/01/2014 às 09:36 #

    Claro q nao está sózinho!!
    É isso mesmo atirá-los p’ra dentro d’água até falarem!! E são estes atrasados mentais que no futuro vão tratar de nós…nos vão servir na medicina, nas ciências e sei lá o quê??? Tirem-me daqui!! Em França as “paxes” foram proibidas pelo governo!! Na Alemanha são controladas!! Na Inglaterra também controladas e muitos outros países…são super limitadas!! Cambada de corja!!

    • Clarissa 22/01/2014 às 23:03 #

      Na Holanda não são controladas e levam as praxes a extremos absurdos também. A minha filha teve a dela lá no princípio deste ano lectivo e, pelo que me contou, posso dizer que certas actividades poderiam ser consideradas como estando muito perto de uma violação dos Direitos Humanos mais básicos. Vontade tenho eu de iniciar um estudo sobre estas praxes e provar que andam a violar a Lei mais fundamental da Humanidade. Uma cambada de inúteis que, temporariamente, se inebria com um suposto poder sobre outros. Assisti a cenas numa Universidade em Lisboa que me meteram nojo. Os que aplicavam a praxe (rapazes e raparigas) passavam o dia de cerveja na mão, a gritar desalmadamente para os caloiros, numa atitude de superioridade e prepotência que só os mais desprovidos de inteligência e valor conseguem assumir.

  13. ana 22/01/2014 às 10:10 #

    O filho Dux é o espelho dos pais dele, C O B A R D E S….e só ele sobrevive….que pena tb não ter ido para o fundo do mar como os outros,assim sim era um pacto de verdade….

    • Nanda 22/01/2014 às 13:13 #

      exactamente…um pacto de verdade!! E nas praxes não deveríam haver nem “carrascos” nem vítimas se é para testar a coragem…então q participem TODOS!! CORJA DE DEMENTES!!

      • mae de anonimos 24/01/2014 às 12:18 #

        deves ter levado poucas deves…deves ser daquelas que recebia a visita do pai a noite no quarto e aos domingos ias sentar-te ao colo do senhor padre.
        agarra nesse odio todo que tens por nao sabes bem quem vai a assembleia da republica e descarrega isso tudo, isso sim era de valor fazeres algo por este pais.

  14. Rusty Ryan 22/01/2014 às 10:26 #

    Comigo, bastavam 5 minutos para falarem.
    Uma pouca vergonha isto que se está a passar.
    Esta tragédia aconteceu à semanas e os pais dos jovens que faleceram continuam sem saber nada, ainda para mais quando há um sobrevivente?!
    Pactos de silêncio?! Isto só mostra que há algo a esconder, razão mais que suficiente para as autoridades já terem sacado cá para fora o que realmente se passou.

  15. David Cabanas 22/01/2014 às 11:09 #

    Era o fim das praxes de vez…. Uma coisa são pinturas na cara e parvoíces do género…Agora praxes fora da faculdade com rituais e atividades estranhas já não são praxes…são estupidezes….

    • factodegala 24/01/2014 às 12:23 #

      david todas as universidades tem praxes fora das mesmas, na universidade lusofona ha varias entidades praxantes e so uma é aceite pela lusofona (a copa) todas as restantes sao proibidas de praxar dentro da lusofona, por acaso os rapazes que morreram faziam parte da copa e estam reunidos para organizar eventos praxantes, de que forma morreram so um individuo sabe é esperar para ele contar o que se passou.
      quando um politico nao faz aquilo que devia tambem se acaba com a politica?quando um politico faz merda tambem se acaba com o seu partido?mas as praxes deviam acabar…tambem este pais devia acabar com a quantidade de falhados que nele existe.

      • Miguel 25/01/2014 às 00:39 #

        Quando falas que quando um politico faz merda deviam acabar com a politica ou acabar com o partido, a resposta é não, mas deviam ser responsabilizados, como estes miúdos deviam ser, os que morreram já foram, falta só um. Este pais de merda, e a sua justiça é que demoram demasiado tempo a saber os factos. Só tenho pena dos pais dos que morreram, porque de resto, n tenho dos que morreram, do que ficou cá, e da família do mesmo que o esta a proteger. Também andei na lusófona, e esses meninos eram todos fanáticos da praxes. Também não fazem muito mais que isso la… e vocês que os defendem e os protegem, tb deviam ser todos responsabilizados… CAMBADA DE URSOS. O que vale é assim só foram 6…. se fosse na altura das praxes, iam 30 ou 40…

  16. Paulo Capelo 22/01/2014 às 12:36 #

    Boas, não estás sozinho Factos, mas no que diz respeito ao sobrevivente eu não seria tão radical. Quem passou por situações muito traumáticas (seja por que razão for, neste caso. Por ter perdido os colegas ou por se sentir culpado) pode de facto esquecer-se do episódio ou partes dele. Quanto menos pressionado for, mais rapidamente se pode voltar a lembrar do que se passou.
    Já no que diz respeito aos que sabiam o que se ia passar e não querem revelar, a história é outra. Esses deviam ser encostados à parede e serem obrigados a falar.

  17. Maria Luisa C.lopes 22/01/2014 às 12:56 #

    Ora eu também não concordo com o pacto,os pais têm o direito de saber o que se passou,agora é assim: culpar o sobrevivente pelo que aconteceu? pelo amor de Deus,ninguém estava a ser praxado,estavam todos na paródia, todos da mesma idade,tenham dó, todos mas todos irresponsáveis.

    • Anónimo 22/01/2014 às 17:51 #

      estou de acordo tiveram a infelicidade de morrer mas talves sirva de exemplo a outros eram crescidinhos concerteza que nao foram obrigados ,mas esperem para ver o que diz o sobrevivente,tambem para ele nao deve ser facil . vamos proibir as praxes.as minhas condolencias as familias enlutadas

    • Anónimo 22/01/2014 às 21:04 #

      SEM DUVIDA ERAM TODOS JA MAIORES DE IDADE PARA IREM PASSAR UMAS MINI FERIAS TB JA ERAM GRANDES PARA FAZEREM O K QUERIAM E PK K TEM K HAVER UM CULPADO SO PK É O UMICO K ESTA VIVO TENHAM DÓ

      • Maria Luisa C.lopes 23/01/2014 às 00:04 #

        Precisamente….porque é que tem que haver um culpado? só porque sobreviveu,tenham dó,tinham todos a mesma idade.

  18. Pedro 22/01/2014 às 13:40 #

    Porrada para cima.

  19. Eulevezinho 22/01/2014 às 13:41 #

    Por acaso conheço pessoas da envolvidas na praxe (só uma) e no meio de tanta tristeza não ouvi nada de pactos de silêncio…mas pronto, a ser verdade é muito mau…

  20. Telma 22/01/2014 às 14:20 #

    Que acidentes acontecem… todos sabemos que sim.. agora fecharem-se em copas e não dizerem nada… nadinha… uma palavra de conforto aos familiares, uma palavra que ajude a perceber o que se passou… isso eu não entendo. Também fui estudante… fui praxada e também praxei algumas pessoas… mas com conta e medida. Praxes agressivas e que colocam a vida das pessoas em perigo não faz qualquer sentido. Qualquer dia ter-se-á que pensar duas vezes se vale a pena entrar na faculdade…. é que se corre o risco de não se conseguir acabar o curso, não por não se ter dinheiro ou notas mas sim por causa de praxes estúpidas feitas por meninos que provavelmente são “seres estúpidos e inferiores”, que a única maneira de serem alguém é a darem cabo da vida dos outros com brincadeiras parvas.

  21. Estrabucha 22/01/2014 às 15:18 #

    A culpa não é só dos “miúdos” que supostamente estão a fazer um pacto de silêncio. A culpa é também dos paizinhos.
    Já estou a ver a minha mãe e o meu pai permitirem que eu fizesse um pacto de silêncio se eu soubesse de alguma coisa que pudesse ajudar a descobrir o que se passou.

  22. Anónimo 22/01/2014 às 17:20 #

    quem pensam que são estes dux`s ???? e o porquê das praches ??

    • Anónimo 24/01/2014 às 03:28 #

      A PRAXE já existe à muitos anos, em todo o mundo, não é uma coisa de agora… e varia muito de sitio para sitio, aqui no norte a praxe é diferente, eu sou praxista e só vai à praxe quem quer e porque quer e gosta, não há “atos violentos” como lhes têm chamado, aqui incentivamos à união, respeito e entreajuda…acreditem se quiserem, mas é verdade. Eu sei muito pouco ou nada sobre esta situação, mas segundo percebi eles já eram veteranos e eram da comissão de praxe (eles próprios já praxavam os caloiros, seria por não gostarem ou estarem contra aquilo?), por isso nem é considerado uma praxe porque são todos das mesmas idades e nenhum é caloiro. Quanto a responsabilidades, não são todos eles, que estiveram lá, responsáveis? São, já eram adultos e escolheram ir para ali, com certeza que ninguém os obrigou a nada… Claro que se quer apurar a responsabilidade, mas só porque houve 1 sobrevivente! Se ele deveria falar? CLARO que deveria, para esclarecer tudo o que aconteceu e as famílias saberem exatamente como se sucederam os acontecimentos…mas não vale a pena apontar dedos, só ele sabe o que se passou, mas dizer-se que os empurrou para a morte ou que se lhe deve fazer o mesmo? desculpem, mas acho que está errado, precisamente porque não se sabe o que aconteceu… pensem que ele passou por aquilo tudo, tentou chamar ajuda e mesmo assim, os amigos foram levados pelo mar, como se sentiriam? estariam com todas as vossas capacidades mentais? Eu não estaria… Os noticiários e jornais dizem muita coisa, mas como podemos saber se é tudo assim?Já pensaram que isso também perturba o jovem sobrevivente? Não estou a tentar de forma nenhuma defendê-lo, até porque como já disse, acho que deveria mesmo falar e é fundamental, mas penso um pouco também como ele deverá estar com todo este mediatismo em torno dele, depois de ter assistido ao que assistiu… Pensem nisso um pouco.

      • factodegala 24/01/2014 às 12:26 #

        alguem que diz algo que se aproveite!parabens!

      • Ana 03/02/2014 às 14:59 #

        Facto provado: tentou pedir ajuda 1h25 depois dos colegas serem engolidos pelo mar. Entretanto teve como prioridade máxima ir a casa e retirar alguns pertences.

        • Factos de Treino 03/02/2014 às 15:13 #

          Isto parece um filme com um final muito triste. Resta saber que raio se passou.

        • Paulo Capelo 03/02/2014 às 20:03 #

          Pois…infelizmente parece mesmo que há qualquer coisa que não querem que seja revelado. Eu uso o plural porque há indícios de que havia mais alguém para além do DUX…

  23. ja te atendo 22/01/2014 às 19:12 #

    Querem saber o que se passou? Muito simples! Excesso de alcool, drogas e outras coisas a mistura… Mas que raio alguem vai fazer para o Meco, de noite e de Inverno? São jovens e de certeza que andaram a cometer loucuras… Não é em Dezembro que se combina praxes! É em Agosto… O porque de levarem os trajes? Desculpa e mania de se vangloriarem de algo que não conquistaram… Agora estão melhores, mortos e enterrados. E quanto ao pacto de silencio… Alguem tem muito a esconder e a perder, e sinceramente nao deve ser o sobrevivente, pois alguem “mais forte” está por trás disto…

  24. Anónimo 22/01/2014 às 20:06 #

    É rículo estarem a escrever este tipo de textos. É bastante fácil falar quando não se está por dentro do assunto. Vêm com textinhos a reclamar que o tal dito Dux devia ser obrigado a falar e mil bla bla blas mas nunca ninguém pensa no lado do tal Dux. Eu era ex-colega de turma e amiga de uma das raparigas que não sobreviveu e sinceramente, por mais dúvidas que tenha e resposta que queira ter, tenho consciência que não são essas respostas que vão trazer a Andreia de volta. Este infeliz incidente foi à pouco mais de um mês. Já pararam para pensar que o tal Dux VIU 6 colegas morrerem? Não acham que isso já é mau o suficiente? Esse rapaz nunca mais vais ser o mesmo na vida, tendo sido isto um acidente ou não.
    Também é muito fácil agora andar para aí a especular sobre pactos de silêncio e a ter opiniões sobre isso. Mas qual é o sentido das pessoas estarem indignadas por coisas que nem sequer sabem se são verdade. Eu estou de acordo que o rapaz devia falar sim senhor, mas não agora. Os pais perderam os filhos e precisam de “terminar” esta história mas o rapaz também precisa de pôr aquela cabeça em ordem, que eu acredito que esteja bastante debilitada neste momento. Não é com textos estúpidos sobre porrada que as coisas se resolvem. O triste acidente já aconteceu, sobre isso não há nada a saber. Se o Dux é culpado ou não, se aquilo foi em praxe ou não, se foram obrigados ou por vontade própria, isso em breve irá saber-se. Agora deixem-se de opiniões revolucionárias que não servem para nada.

    • Maria Luisa C.lopes 22/01/2014 às 21:08 #

      Concordo com tudo o que diz,não acredito que alguém tenha obrigado estes jovens a atirarem-se para a água,e parece-me que há uma má vontade em acreditar que este jovem pode estar em choque,afinal é muito simples nós atirar-mos pedras,mesmo sabendo que vão acertar em alguém inocente.

      • Anónimo 23/01/2014 às 02:09 #

        Se um dos mortos fosse teu filho, queria ver se tinhas tanta compaixão pelo menino DUX que resolveu ter amnésia (conveniente) selectiva. Não tem de ser culpado se não for culpado, mas TEM DE FALAR; PORRA!

        • Ana Pereira 24/01/2014 às 15:04 #

          Precisamente por ser mãe, se o DUX fosse meu filho acho que deveria falar sim, mas não à força nem tão pouco na praça pública para alimentar apetites vorazes de quem tem vidas sem interesse e só quer ver sangue escorrer nas noticias. Acredito que o DUX falará, no fórum certo para o fazer (que não é certamente a televisão ou qualquer outro meio de comunicação social).

    • Anónimo 22/01/2014 às 21:11 #

      É MESMO O MAL É K TODOS GOSTAM DE APONTAR O DEDO E TENTAR POR CULPA A ALGUEM FACIL É FALAR APONTAR O DEDO E NINGUEM SE PREOCULPA COMO O UNICO K VIVEU AQUILO TODO COMO DEVE ESTAR VER E NAO PODER FAZER NADA PARA SALVAR ATE PAREXE K VAI TRAXER OS COLEGAS DE VOLTA

    • Factos de Treino 23/01/2014 às 00:11 #

      Quaaaaase que concordava com o que aqui se diz mas… Preferi escrever umas linhas ali mais em baixo. É que se o rapaz não fala porque está em choque, ok é normal. Se assim não for… meus amigos…

    • DannyBoy13 23/01/2014 às 18:36 #

      Coitadinho do menino se nao tem culpa que fale, para tar calado alguem ha de ter culpa senao qlr pessoa com bom senso acabava com o sofrimento dos pai dos falecidos. Outra coisa em relacao as praxes, eu qdo fui pa faculdade pos laboral, houve um pateta alegre que falou em praxar-me, tentaram coagir, nao fisicamente mas simpsicologicamente dizendo que nao iria longe cmo estudante senao fosse praxado,. Conclusao o menino de cascais acabou com 3 dentes partidos, 6 costelas partidas e belo traumatismo craniano, queriam me fazer passar por uma situacao humilhante so para divertimento proprio, e auto-afirmacao.Isto e assim se somos tao evoluidos nao deveria-mos ter rituais primitivos cmo e afirmacao devido a frustracao, queriam brincar aos animais e domadores a acabou mal e assim. E como alguem disse um sobrevivente sobrivive a algo nefasto este apenas viu alguem morrer afogado, e agora? Qlr dia fazem uma vitima, mais um pobrezinho e o estado na volta ainda lhe da guito e ele processa os pais que ja estao em sofrimento, como disse o 38 cura muita coisa

      • Factos de Treino 23/01/2014 às 19:43 #

        DannyBoy13:
        Independentemente das opiniões… cuidado com estas referências a um “38”. Entramos por um caminho onde a violência me parece ultrapassar, em muito, o que referi no texto inicial. E parece-me demasiado.

        Tenham atenção a isto, por favor, porque nunca se defendeu aqui que alguém é responsável pela morte de outrem.

    • Daniel Peres 23/01/2014 às 19:49 #

      Não vale a pena! Eu concordo totalmente contigo, mas o problema está no facto de as pessoas não conseguirem perceber as diferentes perspectivas, é mais fácil olhar de um certo ponto e dizer tudo o que se tem a dizer e vir a descobrir mais tarde que se calhar se devia de ter pensado nisso através de outro ponto totalmente diferente. É verdade que ele tem de falar, mas com uma situação daquelas é normal que ele possa ter algum tipo de amnésia e que daqui a algum tempo isso recupere e vai recuperar e ai então irão haver respostas, agora não me venham com tretas de “Se fosse comigo já tinha falado” etc etc…dizem que esse suposto pacto de silêncio é porque se estão a armar em heróis de filmes? Então e vocês a dizer que com um monte de porrada ia lá estão armados em quê? E já agora, a quem aproveita para deitar constantemente as praxes a baixo tenham o mínimo de respeito de ter consideração pela opinião dos outros, se vocês não gostam tudo bem respeitamos, mas ao menos que isso seja mútuo!!

  25. Anónimo 22/01/2014 às 21:50 #

    isto e só ódio generalizado em direcção a praxes devido a toda a “trampa” que os nosso jornais sensacionalistas escrevem e inventam…

    • emanphotoart 24/01/2014 às 15:00 #

      Sempre fui contra praxes e não precisei de ver noticiários ou jornais para me dar conta da trampa que são jovem…

  26. Nuno Velez 22/01/2014 às 21:54 #

    A dor destes pais é, decerto, inimaginável, mas não podem esquecer-se que os filhos também estavam ligados a uma “entidade” (chamemos-lhe assim) dentro da Universidade, responsável por “praxar” os novos estudantes e exercer um “bullying” psicológico em relação aos que recusassem ser praxados, que passavam a ser postos de parte, como se fossem “menos estudantes” do que eles. Sinceramente, estes pais viram os filhos ir para uma localidade afastada da universidade, ao que consta trajados de estudantes, e não se questionaram sobre o que iam fazer? Uma sala na universidade ou na casa de um deles não bastaria para combinarem as futuras praxes? Na sua ridícula condição de “dux” o sobrevivente pode ter-lhes dado a ordem de se lançarem ao mar, mas seis terão obedecido (como adultos universitários não deveriam ter o bom senso de recusar?). É só culpa do sobrevivente? E que culpa têm as estruturas universitárias pelo que alguns estudantes façam fora do espaço da universidade? A dor e a revolta não podem dar lugar à demagogia e aum apelo à violência.

  27. Maria de Lourdes Pedro 22/01/2014 às 23:04 #

    Quem escreveu este artigo?????? Não gosto de anónimos!!!!!!

    • Factos de Treino 23/01/2014 às 00:13 #

      “Factos”, humilde recepcionista deste pardieiro de má fama, que responde pelo nome de Factos de Treino.

      Ao seu dispor.

  28. Ana Fernandes 22/01/2014 às 23:46 #

    Completamente de da acordo com o Sr. Nuno Velez. Tenho apenas dificuldade em chamar sobrevivente ao Dux pois sobrevivente é aquele que resistiu a algo nefasto e acho que ele não resistiu a nada pois a nada foi sujeito. Ele é a testemunha chave não o sobrevivente

  29. Factos de Treino 22/01/2014 às 23:55 #

    Xinapá… o que para aqui vai!!! Parece um tribunal de praxe mas feito de pessoas com cérebro!! (tenhamos opiniões discordantes ou não…).

    Apenas para deixar uma nota de rodapé. Eu não duvido que todos tenham um pouco de culpa por lá estarem e por alinharem nas tais praxes (assumindo que foi isso que aconteceu). Eram todos maiores e vacinados, certamente ligeiramente bêbedos ou drogados (quem nunca!????) e, provavelmente, os praxados que um dia seriam o praxadores (ou lá como se designam estas pessoas.

    Também não nego, como aliás disse no texto, que tudo isto possa ter sido um infeliz e estúpido acidente. Uma vez mais pergunto: – Quem nunca viu uma daquelas “horas do diabo” passar-lhe bem perto!?

    Admito até que o único sobrevivente possa estar com aquela cabacinha feita num oito. É normal que esteja.

    AGOOOOORA….

    O que não admito (se é que alguém está preocupado com o que deixo, ou não, de admitir) é que este silêncio não seja motivado por estados de choque e esteja a ser orquestrado para encobrir seja o que for. Porque é isso que dizem as notícias. Muitas vezes falsas, é certo… mas o que se diz é que há, inclusivamente, pessoas a tentar impedir que outros falem sobre o assunto. E isso, meus amigos…. era de costas da mão nas trombas.

    E só para terminar. É claro que eles vão falar.
    Há demasiada gente envolvida (aparentemente) para que não apareça aí um a dar com a língua nos dentes.

    Abraço e um caloroso “bem-vindos” aos que deram com este pardieiro pela primeira vez.
    Factos

    • Anónimo 23/01/2014 às 15:05 #

      Isso do pacto de silêncio foi lançado pela comunicação social para vender jornais. Apenas e só isso.

  30. João Faria 23/01/2014 às 00:08 #

    Não percebo como é isto possivel… Isto é TV a mais na cabeça destes PUTOS, sim PUTOS, com esta atitude egoista e infantil… Isto já parece aqueles cultos em que sao feitas aquelas tais ”lavagens” cerebrais… Mas e os pais destes ditos putos, não obrigam os filhos? Não pensao que poderiam estar no lugar inverso? E q por causa deste estupido, infantil, voto de silencio os pais dos miudos falecidos nao têm pais de espirito? Estao na universidade, têm dois dedos de testa para pensarem nas conquencias que esta atitude tem… é que pode ninguem ter culpa… mas a atitude diz o contrario… Triste…

    • Anónimo 23/01/2014 às 03:20 #

      Quem é que está a fazer pacto de silêncio? Os que infelizmente já não estão cá já não podem falar e o Sobrevivente falará e não será certamente para vosso disfruto e puro entretenimento. Tanto me pergunto se não estarão melhores filmes no cinema para se entreterem ou então que vida medíocre levam sendo este o maior e melhor da vossa diversão.
      Fora isso quem mais está a fazer pacto de silêncio, ou talvez os colegas e amigos não sejam como todos vocês que só defecam da boca sem nada saber. Não estava lá mais ninguém para além deles ,como dar a resposta que as famílias tanto querem? Já li textos ridículos mas este supera pela mediocridade de palavras usadas e pela agressão psicológica que este transmite , digo psicológica porque ainda não teve oportunidade de como diz “encher esses palhaços de merda de porrada” porque senão faria, então qual a moral de falar seja o que for quando nem humanidade tem em si nem respeito por ninguém.
      Se uns não falam realmente outros falam de mais e eu só espero que essa sua vontade de espancar miúdos se vire contra si, tal como pais e amigos guerreiros

      • Paulo Capelo 23/01/2014 às 10:32 #

        Parece que não houve nenhum sobrevivente. O rapaz que pediu auxílio, segundo disseram, estava com a roupa seca, pelo que não se deve ter salvo de nada e por isso não é sobrevivente.

        O caríssimo anónimo deve, possivelmente, estar a fazer a sua primeira visita a este sítio, pelo que entendo perfeitamente a sua indignação. Se por cá continuar, vai ver que se habitua.

      • Raquel 23/01/2014 às 10:32 #

        É TÃÃOOO, mas tão fácil mandar “postas de pescada” anónimas…

      • Factos de Treino 23/01/2014 às 19:52 #

        Anónimo:
        Tenho pena que seja anónimo, precisamente porque reconheço o valor do seu comentário. Tem muita razão no que diz. Tenho pena que não perceba o exagero que se usa nestes textos para expressar a indignação perante um “Pacto” que desde o início se diz que alegadamente existiu.

        Tudo se resume a isso. Se é verdade o tal “pacto” a indignação mantém-se. Se não for, fomos carneiros (a maioria) e não será a primeira ou última vez.

        Ninguém defende o espancamento de miúdos porque sim.
        Parece-me que isso ficou claro.

      • João Faria 23/01/2014 às 23:58 #

        Não sou a favor de “espancar” Ninguém como fala, sou a favor sim de se descobrir qual a verdadeira história, verdadeiros factos, não por mim, para meu belo entretenimento, NÃO, mas apenas para que os pais tenham um “porquê”, não que traga alguém de volta mas no sentido de trazer paz. Não faço ideia da dor que a interrogação trás, mas pelo que deduzo é bem maior que o trauma que qualquer um dos que fizeram o pacto ou do que o “sobrevivente” está a passar, disso tenho a certeza.

  31. Nádia 23/01/2014 às 03:01 #

    Não é questão de saberem ou não, porque quem realmente sabe o que se passou é apenas uma pessoa, a tal que ainda nem uma resposta aos pais das vitimas deu.
    O que está em causa aqui e penso que é o que os jornais todos tem falado e referem como “pacto de silêncio” é o silêncio que todos os membros da faculdade estão a fazer em relação a “encontros” idênticos a este, que segundo os próprios alunos desta faculdade “já existiram vários e só servem para nos preparar para a vida”.
    Conseguem perceber o grave da situação? Morreram pessoas!!!!! E muitas são humilhadas diariamente e NÃO INTEGRADAS nestes ditos “actos de integração”! Querem preparar-se para a vida???? Vão ajudar as instituições portuguesas a distribuir sopa aos sem abrigo, o banco alimentar a angariar alimentos, façam voluntariado nos hospitais portugueses onde existem milhares de idosos completamente sozinhos à espera de uma palavra e de algum carinho… isso sim prepara para a vida.

    • Anónimo 23/01/2014 às 08:27 #

      Muito bem dito!

    • Miguel Gomes 23/01/2014 às 13:21 #

      Ok, portanto ajudar instituições. Está certo, ABRAM OS OLHOS http://videos.sapo.pt/AhsJwkfMKyegreFmIZR3

      • Nádia 23/01/2014 às 14:13 #

        Desculpe se o ofendi, mas realmente não percebeu aquilo que quis dizer. Nunca disse que não o faziam, disse apenas que SE QUEREM PREPARA-SE PARA A VIDA (como muitos já vieram a publico dizer que é um dos objetivos da praxe) não é com esses rituais que o vão fazer, se realmente querem “preparar-se para a vida” existe muita coisa a fazer que não ridiculariza ninguém, nem coloca em risco a vida dos outros.

  32. Anónimo 23/01/2014 às 08:17 #

    Pois mt bem, nao se trata de arranjar culpados, simplesmente, e só tentar saber o que aconteceu, aqueles filhos…. Mais nada…. Então se o rapaz sabe que diga para todos ficarem descansados, assim vai ficar sempre ideia de que efectivamente há culpados…. FALEM PORRA….

  33. Ana Leandro 23/01/2014 às 11:50 #

    Eu que nunca comento nada de nada, senti-me impelida a vir cá deixar o meu contributo para este tema… Vamos por partes:

    1. Caiam-me em cima, mas eu não sou contra a praxe. Eu fui praxada e praxei, e voltaria a praxar se pudesse. Agora, não sou contra a praxe com peso, conta e medida. Nunca passei por um mau bocado nas praxes nem fiz ninguém passar por um mau bocado, nunca humilhei nenhum caloiro de forma intencional e sistemática (um aparte: claro que existem gritos e coisas do género, também gritaram comigo e eu não fiquei traumatizada por causa disso, mas lá está, tudo com conta, peso e medida). As praxes, sempre que não sejam ultrapassados limites, podem ser uma coisa gira. Epá, andamos todos sujos a rebolar pelo chão, mas eu fartei-me de rir enquanto fui praxada e conheci logo ali pessoas que estão comigo até hoje. Se servem para mais alguma coisa? Não, não servem. Vi uma aluna da Lusófona a dizer que preparam os alunos para a vida, para o mundo do trabalho e para que saibam respeitar hierarquias. Bullshit. As praxes servem para os veteranos terem ali uns minutos de poder e de afirmação, mas não têm de ser uma coisa má desde que não se ultrapassem determinadas barreiras.

    2. Bom, isto tudo para dizer que, se de facto esta situação foi resultado de uma praxe, estas pessoas (que já tinham idade para ter juízo) são muito estúpidas. Inebriadas ou não, quem é que no seu perfeito juízo leva caloiros para a praia, em pleno Inverno? E, por muita pena que eu tenha dos que lá ficaram e das respectivas famílias, quem é que aceita ser sujeito a isto? Se isto se passasse comigo e me levassem para uma praia para fazer um ritual de iniciação ou o que quer que seja, eu mandava-os (e perdoem-me a expressão) mamar na quinta pata do cavalo. Sem tirar nem pôr, mesmo que isso significasse declararem-me “anti-praxe” (o que se traduz muito estúpido, especialmente nestes casos específicos, em não poder trajar, participar em alguns eventos, etc.). A culpa não é só de um, infelizmente acho que é de todos… Claro que os veteranos terão um peso maior de culpa provavelmente, pois terão sido eles a ter esta ideia brilhante e a pressionar os colegas a executá-la…

    3. Em relação ao sobrevivente existem aqui alguns factores a ter em conta (para além dos já citados). Podem achar que não interessa muito, mas será que ele foi ao mar e conseguiu sair ou nem sequer entrou? Eu acredito que o rapaz esteja traumatizado e em choque (aliás, eu espero que seja esse o motivo para ele não abrir aquela bocarra), mas se ele tiver estado à beira de não se safar mais traumatizado poderá estar ainda… Ou não, nunca se sabe o que pode ir na cabeça daquela alminha. Se sou da opinião de que ele deveria falar? Obviamente. Coitados daqueles pais que não conseguem perceber o que levou à morte prematura dos filhos, nem consigo imaginar a dor e o desespero por que eles estarão a passar…

    4. O que me leva ao ponto principal: Estes miúdos, que já não são nenhumas crianças mas sim jovens adultos, deveriam ter a capacidade de pôr a mão na consciência e perceber que, ao não falarem, estão a prolongar o sofrimento daquelas famílias. Não que elas não vão continuar a sofrer após saberem o que se passou, mas ao menos sabem… E daí pode, e vai concerteza, nascer uma nova forma de revolta (caso se chegue à conclusão de que não se tratou de um simples acidente mas sim do resultado de um acto completamente idiota), mas ao menos sabem. Os pais destas criaturas também não hão-de estar muito felizes com os seus rebentos por (hipoteticamente) estarem envolvidos nesta história. De qualquer forma, parece-me que também não estão a fazer muita pressão para que algum deles se chegue à frente, ou se calhar até estão mas os seus esforços são em vão. Mas como todas as notícias me dão a ideia do contrário, eu acho que neste caso eles também se tornam um pouco culpados, ou antes cúmplices do que se passou, ao estarem a proteger os seus filhos (e atenção, eu compreendo que o façam, são os filhos deles). Mas e se fosse com eles? Não gostariam de saber o que se passou?

    Não sei se partir para a porrada será o mais indicado, é o que dá vontade, sim… Se calhar se fizesse algum deles falar nem era mal pensado, mas acredito que, com a pressão que estão a sofrer por parte dos pais dos falecidos alunos, mais a população em geral, mais os media… Que algum deles há-de dar com a língua nos dentes. E que estes pais possam ter um pouco de paz um dia. Enfim…

  34. André 23/01/2014 às 12:55 #

    Quem está aqui nem se esconde atrás de um computador? Eu já fiz parte da praxe académica da Lusófona, venha lá alguém obrigar-me ao que quer que seja. Tanto machão que diz que faz e acontece então força!!! Pacto de merda é ninguém vos ter ensinado a meter pimentinha na língua ou saltar um dedinho por palavra mal teclada!!!

    • andre de braga 28/01/2014 às 12:48 #

      Podes apostar o que quizeres que falas, alias se fosse meu familiar eu ja sabia a verdade! Mas deixa ai o teu contacto que eu ligo e marcamos, ando por braga e pelo porto, mas posso ir mais longe apenas por falarmos pessoalmente

  35. Anónimo 23/01/2014 às 13:03 #

    NÃO HÁ UM PACTO DE SILENCIO NENHUM, SE NÓS NÃO ESTÁVAMOS PRESENTES NA NOITE DA TRAGÉDIA QUEREM QUE DIGAMOS O QUE?!?!?!?!? QUE RETARDADOS, VOCÊS TODOS É QUE DEVIAM DE APANHAR PORRADA E DEIXAR AS PESSOAS FAZER O SEU LUTO! DEIXEM DE SER ATRASADOS MENTAIS

    • Factos de Treino 23/01/2014 às 13:22 #

      Se NÓS não estávamos!? Nós!?
      Hummm… ora bem, assim já começamos a chegar a algo mais interessante e, eventualmente, de alguma utilidade.

      Sherlock de Treino sente que pode devolver algo à sociedade. Vamos por partes.

      Quem somos “nós”!? Quem são as pessoas que não estavam lá mas que supostamente deveriam saber de coisas!? E porque raio quererá a PJ falar com estas pessoas se, na verdade, elas nem sequer lá estavam!? Afinal de contas, era algo relacionado com praxes ou foi simplesmente um fds de bezanas com a malta da faculdade!??

      E que raio de mentira hedionda é esta que se criou sobre o tal pacto de silêncio!? Porquê!? Foi apenas o mundo a juntar-se para tramar os malvados praxistas (desculpem mas continuo a não saber qual o termo correcto para esta malta)!?

      Porque não vem alguém dizer, preto no branco, que não há pacto nenhum e que os jornais se andam a alimentar de mentiras (não seria a primeira vez)!?

      Vá lá… se há malta a saber mais que os restantes “carneiros” que seguem as notícias, pois que esclareçam o rebanho.

  36. Miguel Gomes 23/01/2014 às 13:19 #

    Se eu te apanhasse na rua, tu que te escondes atrás de um pc nunca mais te punhas de pé filho da puta. Faço parte da Lusófona e da praxe da mesma com muito orgulho, inclusive do organismo que gere a praxe, e acredita que eu, nada sei a mais do que tu ou qualquer outro português sabe. Primeiramente, é perfeitamente normal eles não terem o telemóvel com eles, nos fazemos isso sempre, segundo, quantos de vocês aqui nunca foram sair a noite, ou por qualquer outra razão não foram para a praia a noite? Há que entender aqui que nenhum deles ali era um criança, estamos a falar de adultos, a nossa praxe não obriga ninguém. Drogas? não são permitidas.
    Devias de ter vergonha de falar sobre algo que não sabes, não conheces e muito menos algum dia a tua mente minúscula te ia dar a entender. Se as coisas não são faladas é porque 1 não há nada a falar, 2 não sabemos, e mesmo que soubéssemos para que contar a palhaços como tu que fazem a sua própria interpretação dos factos. É vergonhoso ver pessoas a escrevem barbaridades como “voltar a tortura”, vocês todos são ridículos, a meterem o nariz num assunto que já esta entregue a policia, deixem nos trabalhar. eu perdi 6 amigos, e vocês, perderam o juizo e a noção ?

    • Nem vale a pena dizer o nome a pessoas mal educadas 23/01/2014 às 14:16 #

      Tanta educação junta numa só universidade! Insultar e partir para a violência é de quem não consegue argumentar com palavras correctamente!

      • Nádia 23/01/2014 às 14:29 #

        Terei que o desmentir! Ninguém pede que você e outro qualquer aluno da faculdade diga o que se passou naquela noite, porque isso volto a repetir) SÓ UMA PESSOA SABE, O SOBREVIVENTE!! Mas segundo os poucos alunos que falaram foi para dizer que estes encontros eram frequentes “saltar ondinhas” e por ai fora, e o que as pessoas querem saber é o que se faz nesses encontros, pois a vida de outras pessoas já pode ter estado em risco e por sorte não aconteceu nada demais, a não ser calarem-se. Pois vem dizer (e isto eu vi uma aluna a dizê-lo para a TV) “a praxe desta faculdade é diferente de todas as outras, prepara-nos para a vida”. Toda a gente é contra o bullying mas muita gente é a favor praxe! Expliquem-me a diferença quando a praxe é ridicularizar o outro, colocar em risco a vida do outro e etc…

      • Miguel Gomes 23/01/2014 às 15:04 #

        Falar de pessoal mal educadas e estar num blog onde o autor insulta meio mundo é no mínimo um contra senso.

    • Nádia 23/01/2014 às 14:32 #

      Terei que o desmentir! Ninguém pede que você e outro qualquer aluno da faculdade diga o que se passou naquela noite, porque isso volto a repetir) SÓ UMA PESSOA SABE, O SOBREVIVENTE!! Mas segundo os poucos alunos que falaram foi para dizer que estes encontros eram frequentes “saltar ondinhas” e por ai fora, e o que as pessoas querem saber é o que se faz nesses encontros, pois a vida de outras pessoas já pode ter estado em risco e por sorte não aconteceu nada demais, a não ser calarem-se. Pois vem dizer (e isto eu vi uma aluna a dizê-lo para a TV) “a praxe desta faculdade é diferente de todas as outras, prepara-nos para a vida”. Toda a gente é contra o bullying mas muita gente é a favor praxe! Expliquem-me a diferença quando a praxe é ridicularizar o outro, colocar em risco a vida do outro e etc…

      ( a resposta era para si e não para o comentário seguinte)

      • Rute Fonseca 24/01/2014 às 03:48 #

        Nádia, o objetivo da praxe, pelo menos da que conheço é criar um sentido de união, respeito e entreajuda entre os caloiros, sou praxista, veterana, e nunca tiveram uma atitude comigo que seja contra a minha integridade física, até porque um praxando pode sempre e em qualquer circunstância desistir da praxe ou não aceitar uma brincadeira… a praxe é diferente de faculdade para faculdade, claro que as mais tradicionais são as de Porto e Coimbra, que são consideradas as verdadeiras praxes…as pessoas que vão para a praxe, volto a repetir, pelo menos para a que conheço, vão porque querem, ficam porque gostam. Aqui, na minha casa “praxistica”, no Porto, o nosso lema é “sensibilidade e bom senso” e penso que isso tenha sempre de ser levado em conta! Já vi muitos a criticarem o sobrevivente, por ser o dux e ser o dux que “comanda” a praxe, mas é só por isso e por ser o unico sobrevivente, porque se formos a analisar a situação todos eles já tinham uns anos de praxe, se não não seriam “veteranos”, por isso já tinham praxado também os caloiros…e seria a primeira vez que ali estariam? talvez não, não sei… mas foram porque quiseram ir, não foram obrigados. E esta é a melhor explicação sobre praxe que posso dar, pelo menos do que aprendi, além disso, quem não vai à praxe não é “desprezado” como já li, pelo menos aqui…tenho muitos amigos “não-praxistas” e somos grandes amigos.

        • Nádia 26/01/2014 às 21:25 #

          Compreendo a sua explicação mas terei de dizer que não acontece nem com toda a gente (ter essa opinião) nem acontece dessa forma em todo país. Mas compreendo e aceito a sua opinião.

    • Factos de Treino 23/01/2014 às 19:59 #

      Liiiivra…. devo admitir que o amigo Miguel Gomes mete um bocado de medo. Nem quero imaginar quando está com aquelas roupitas pretas e copo de cerveja na mão a gritar com a miúdagem. Respect!

      Tirando isso, há uma coisa que não percebo no discurso do Miguel. Já todos fomos para a praia à noite, etc etc… mas, afinal de contas, aquilo tinha alguma coisa relacionada com um ritual de praxe ou não!?? É que para mim eram apenas amigos a cometer uns excessos mas subitamente estamos a falar das rotinas de não levar os tlms para a praia etc…

      Se voltarmos à teoria das praxes… então isto é tão mau quanto parece. Continuo a acreditar que não era isso que se estaria ali a passar.

      Quanto às perdas, os meus sentimentos. E, como é óbvio, se há pedaço no qual nunca brincaria, é neste.

    • R 24/01/2014 às 16:25 #

      Miguel Gomes, és burro que até doi… ” Se as coisas não são faladas é porque 1 não há nada a falar, 2 não sabemos, e mesmo que soubéssemos para que contar a palhaços como tu que fazem a sua própria interpretação dos factos.” – acabaste de confessar que esse pacto existe e que tu contribuis para o mesmo. Eu concordo que seja a policia a tratar do assunto, mas pelos vistos também eles têm dificuldades em obter respostas e sinceridade. Senão as famílias já saberiam as verdadeiras causas do acidente e já poderiam sofrer em paz. Perdeste 6 amigos, mas estão a desrespeita-los ao não contar o que se passou em nome do companheirismo, da praxe e da instituição.
      O facto de uma das pessoas envolvidas não falar, só demonstra que para além do trauma que está a passar, deve estar a ocultar factos. Agora porque todos saiamos à noite e eventualmente iamos para a praia, já é desculpa para o que aconteceu?

  37. Anónimo 23/01/2014 às 13:52 #

    Falsos moralistas!!!!!
    Temos santos aqui!? Nunca ninguém bebeu, fumou e fez porcaria? Isto podia ter acontecidos qualquer um de nós… Querem saber o quê? Que diferença faz? Ou acreditam mesmo que foi tudo premeditado?

  38. Marcos Gonçalves 23/01/2014 às 14:02 #

    A inquisição tratava desta questao em 2 minutos, se fossem os meus filhos trataria de tudo de forma extrema para poder dormir em paz e para q nunca mais se repitam estas situações!!!! Pactos…. A consciencia pesada serà a tareia q durará uma vida…..

  39. Joaquim Santos 23/01/2014 às 14:10 #

    Então mas olha lá uma coisa atrasado mental, o pacto de silencio provavelmente é sobre as vitimas e o sobrevivente, quem são, onde esta/estavam habitualmente, namorados/as, e coisas assim. Como é que além sabe o que se passa lá? talvez 1 em 10(aquele que possa ter representado o seu curso) possa falar sobre o que passa nesses fins de semana misteriosos. Esse pacto de silêncio que somos submetidos pela parte da comunicação social é ridícula. Mas pronto, viva a liberdade de expressão…

    Mas pronto, como tu existem(infelizmente) muitos mais por ai, que criticam, falam e mandam bocas e na realidade o que sabem é o mesmo que todos, nada.

  40. Mascarilha 23/01/2014 às 17:30 #

    Tipos da Lusofona tudo uma de m*rda, a começar na reitoria e acabar nos alunos, muitos deles governam o pais, já deu para perceber o tipo de portugueses que saem dessa fabrica.

  41. Sofia 23/01/2014 às 18:03 #

    não existe pacto de silencio nenhum, metam na cabeça q foi um acidente e por 6 não culpem 600. As pessoas são maiores de idade ninguém obriga ninguém. Falam no que vos convém e apontam o dedo sem terem noção que as pessoas q morreram também eram nossas amigas. Como a universidade é a lusofona é que sa foda são todos os otarios. Pois mas as coisas nao sao assim. Não existe tal pacto de silencio o que existe são regras q dentro da praxe são compridas e ensinamentos q damos aos caloiros ao longo dos anos, se fosse tudo igual para todos se não houvesse hierarquias n havia respeito e era cada um por si. Metam na cabeça que quanto mais pesado o cargo mais silencio há em relação aos de grau hierárquico inferior, mas não passam de pequenas coisas nada relacionado a rituais e mortes e whatever q andam para ai a dizer. Não há rituais ou merdas dessas por amor de deus isso é ridiculo, especulações típicas do jornalismo português. Mais uma vez ninguém é pau mandado, a responsabilidade e vontade de dizer q não parte de cada um ninguém obriga ninguém. Comparar a praxe a grupos terroristas ? a serio? se quer mesmo compreender o qe é a praxe da lusofona pare um dia lá no jardim e veja a “crueldade” gigante q tanto fala. Mais depressa estão trajados a levar na cabeça do que caloiros.

    • Rui Pedro Silva 24/01/2014 às 16:36 #

      O facto de não saberes da existência de algo, não faz com que esse algo não aconteça ou exista.

      Só.

  42. Anónimo 23/01/2014 às 18:18 #

    Eu dava-lhes um bom tratamento a base da tortura barbara que nos imponhamos as bruxas nos tempos de inquisicao, depois de terem contado tudo os dias que os pais das vitimas sofreram, era-lhes debitado em anos de pancada trabalhos forcados e mais tortura, acredite que se fosse o meu filho, eu podia ir de cana mas o fdp havia de cantar tudo o k sabe e o k nao sabe…entramos nesta nova decada nesta nova geracao, onde tudo o que e old school e barbaro e nao presta, ok…aqui vai a minha opiniao, nao prestam e os merdas de pais que fazem ver aos filhos o k sao bons valores morais e etica, antigamente nao havia tanta “tolerancia” se calhar por isso e k as coisas andavam mais certas que hj…eu penso assim Tolerancia excessiva, um bando de cornos, meninos sem principios numa sociedade em que o maior principio e o dinheiro, para eles tenho um 38 e muita caixa de municao

  43. DannyBoy13 23/01/2014 às 18:25 #

    Eu dava-lhes um bom tratamento a base da tortura barbara que nos imponhamos as bruxas nos tempos de inquisicao, depois de terem contado tudo os dias que os pais das vitimas sofreram, era-lhes debitado em anos de pancada trabalhos forcados e mais tortura, acredite que se fosse o meu filho, eu podia ir de cana mas o fdp havia de cantar tudo o k sabe e o k nao sabe…entramos nesta nova decada nesta nova geracao, onde tudo o que e old school e barbaro e nao presta, ok…aqui vai a minha opiniao, nao prestam e os merdas de pais que fazem ver aos filhos o k sao bons valores morais e etica, antigamente nao havia tanta “tolerancia” se calhar por isso e k as coisas andavam mais certas que hj…eu penso assim Tolerancia excessiva, um bando de cornos, meninos sem principios numa sociedade em que o maior principio e o dinheiro, para eles tenho um 38 e muita caixa de municao

  44. Ágata Melon 23/01/2014 às 19:26 #

    mas será que ninguém consegue entender que não existe nem nunca existiu um pacto de silêncio e, que este foi criado pelos mídia, pelas pessoas maldosas que não sabem fazer mas nada senão apontar o dedo ? não se trata da verdade ! Se não sabem da verdade, façam vocês um pacto de silêncio, já que estas são as palavras do dia !

  45. Anónimo 23/01/2014 às 19:32 #

    Absolutamente ridículo. Deviam de ganhar vergonha na cara por escrever uma coisa dessas. Que tudo o que desejam aos outros que vos calha em triplicado ou mais. Gentinha ridícula, sem o mínimo de noção que gosta de falar (e muito) do que não sabem.

    Respeitem o sofrimento dos outros pelo menos.

  46. Anónimo 23/01/2014 às 19:39 #

    È giro, porque ando na faculdade, sou trajado do COPA, amigo das vitimas em questao e do sobrevivente, e nunca ouvi tal “pacto de silencio”.

    Caso nao saibam, ele concordou dar declaraçoes, e já está agendado.

    Quanto ao pacto de silencio, mais uma invençao dos Media que vos afectou os ouvidos, só pode.

    • Factos de Treino 23/01/2014 às 20:01 #

      Comentário mais esclarecedor que se escreveu aqui. Se assim é, isto foi tudo uma não notícia e termina aqui.

      Obrigado

  47. O TEU PAI 23/01/2014 às 19:50 #

    MAIS UM A ESCREVER PARA GARANTIR 5 MINUTOS DE FAMA E ATENÇÃO ! ESTÁS COM FALTA DE PROTAGONISMO? VAI CORRER PARA O MEIO DA RUA NU, COM UM PAU NO TRASEIRO! TU E TODOS FALAM DO QUE NÃO SABEM, A PORCARIA DOS JORNAIS É QUE ANDAM A CRIAR ESTAS POLÉMICAS! E O NOSSO POVO COMO É BURRO ACREDITA EM TUDO, CONSEGUEM ACREDITAR EM DUAS COISAS COMPLETAMENTE DIFERENTES E DIZEREM QUE É VERDADE MESMO HAVENDO CONTRADIÇÃO! PROVAVELMENTE NUNCA ESTIVESTE NO ENSINO SUPERIOR, E TAS A TENTAR MANCHAR O NOME DE TODOS OS ESTUDANTES DE UMA UNIVERSIDADE E APONTAR O DEDO AOS RESTANTES ESPALHADOS PELO PAÍS FORA. ESPERAS QUE HAJA CONCLUSÕES E AÍ COMENTAS, QUE BONECO! TU E TODOS QUE ESTÃO A TENTAR GANHAR MINUTOS DE ATENÇÃO, METEM ME NOJO! DEIXEM A POLÍCIA INVESTIGAR E PAREM DE MEDIATIZAR ESTE CASO. PAZ À ALMA DOS QUE PARTIRAM E MUITA FORÇA PARA AS FAMÍLIAS QUE SOFREM COM A PERDA E AINDA MAIS GRAÇAS À MEDIATIZAÇÃO DO CASO POR PARTE DE PESSOAS COMO TU!

    • Paulo Capelo 23/01/2014 às 20:25 #

      Bolas, que até fiquei surdo!!
      No que a mim me toca, claro que respeito o luto que aqueles pobres pais estão a tentar ter. Não queria estar na pele deles, nunca na vida. É com certeza uma dor atroz e uma inversão da ordem natural das coisas. Algo que não faz sentido e que ninguém quer. Penso que não estou sozinho neste sentimento.

      Quanto ao pacto de silêncio, não sei se existe com esse nome ou com outro. Como já vi que estão aqui várias pessoas da Lusófona o que podiam dizer era o que, normalmente, acontece em praxes deste género e não nesta praxe em particular. Por não ser levantado o véu, é que possivelmente surgiu a invenção, ou não, do pacto de silêncio. É porque, se nenhum de vocês disser nada sobre este assunto aqui, começo seriamente a acreditar que de facto há um pacto de silêncio! Não acredito que ninguém se lembre da praxe que teve ou que fez, em circunstâncias semelhantes. É só isso, não é preciso ficares com a garganta rouca, ok?

  48. Anónimo 23/01/2014 às 19:53 #

    Amigo, o teu texto e completamente ridículo porque falas do que não sabes,
    os alunos da lusofonia são um pouco mais inteligentes que tu, porque em vez de falarem do que não sabem preferem não dizer nada… eu chamo a isso ” a coisa mais normal do mundo” e não um “pacto de silencio”.

  49. Anónimo 23/01/2014 às 19:55 #

    Ofender e ameaçar pessoas que na conheces, isso e cobardia fofo

  50. Anónimo 23/01/2014 às 20:51 #

    Morre

  51. Mirone 23/01/2014 às 22:49 #

    És grande Factos! E chegas para todos.

  52. Angelo Cunha 23/01/2014 às 23:11 #

    Porrada era pouco… Tenho dito… Ou falam ou falam

  53. Miguel Barriga 23/01/2014 às 23:13 #

    Olha Factos. Não estás sózinho nisto como já tiveste oportunidade de ver. Tenho 4 filhos e a mais velha, entra para para a universidade para o ano que vem. Com esta noticia e todos estes disparates, nem consigo imaginar que uma coisa destas acontecesse a um filho meu. Garanto-te que, independentemente de eu certamente ir preso, essa corja das praxes de mau gosto ía começar a avaliar melhor as ideias. Se quando as coisas corressem menos bem levassem uns tabefes no focinho como dizes e bem, isto não andava assim. Quando eu era puto, levei uns tabefes (e uma ou duas tareias de cinto) que te garanto que me ‘clarificaram’ as ideias. Um grande ‘bem ajas’ para ti, para os teus e para o teu blog.

  54. Anónimo 23/01/2014 às 23:47 #

    Isto parece uma selva! Onde raio pára a lógica em tantas ameaças de violência, tanta barbaridade? De facto, isto já me parece uma caça às bruxas, onde todos têm razão quando nem sequer conhecem a verdade dos factos. Pergunto-me a mim se haveria assim tantos valentões (e valentonas!) se se encontrassem na situação do sobrevivente. Sim, porque até prova em contrário, ele é “apenas” o sobrevivente. Pergunto-me ainda, quantas destas pessoas que se dizem tão donas da verdade conseguiriam estar erguidos e com a cabeça clarificada após passar por um trauma como foi esta tragédia. Por fim, ponham-se DE FACTO no lugar destes pais, irmãos, avós, namorados e perguntem-se: “como será que me sentiria com tanta especulação, tanta gente a opinar, dar ideias, tanta ‘verdade’, tanto de tudo que no fim não é nada!?” Na m*rda, pois bem! Já não basta aquilo que estas famílias estão a passar, como ainda têm de lidar com a opinião pública, tão sabichona que ela é! Parece que conhecem as pessoas. Respeitem famílias dos que infelizmente partiram. Ponham-se no vosso canto e guardem os vossos juízes de valor. Há gente cujo sofrimento é bem real e doloroso. Há um sobrevivente que precisa de ficar são para poder dar um pouco mais de sossego a estas famílias. Ele próprio tem família! Pensem se fosse um familiar vosso a ser linchado desta maneira e a vê-lo nas suas tentativas de suicídio, como seria?! Protejam-se e não cuspam para o ar. APOIEM-SE! Há muita falta de amor pelo próximo neste país.

  55. Marco 23/01/2014 às 23:58 #

    Então ouves/lês uma notícia e acreditas nela como sendo a verdade absoluta? Achas que o que ia resolver este assunto era enfardar nos alunos que não vão falar? Muito bom. Aliás, acho que até devias ser mesmo tu a tratar disso. Arregaça as mangas e vai À Lusófona e faz toda a gente falar à porrada. Se calhar ainda recebes um prémio qualquer de jornalismo ou da judiciária pelo teu método inovador de recolha de informação. Parabéns pela diarreia mental.

  56. sandro 24/01/2014 às 00:21 #

    crianças !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!??????????????????? porra alguém me pode dizer a partir que idade uma pessoa passa a ser adulta !!!!?????? hummmm talvez aos 35 anos
    para mim são todos culpados. só tenho pena das famílias que perderam um familiar.

  57. Anónimo 24/01/2014 às 01:29 #

    Oh palhaco n fales do q nao sabes. Tu conheces algum dos intervenientes da tragedia? Pois eu conhecia e mete.me nojo ver tanta merda de gente e noticia a falarem do q acham q sabem ou do q pensam q imaginam cm funciona…enfim qeq interessa. Nnguem desta gente q faz comentarios q me enojam sabe o q eles seguiam cm as coisas funcionam e cm seguiam as coisas com regras. Infelizmente foram apanhados nesta tragedia. Simplesmente calem.se o pessoal tem a mania q e detetive q sabe tudo e o q é verdade ou mentira. Toda a gente da uma d consciencioso mas so querem é saber o q se passou cambada de cuscos fdx quando isso apenas diz rspeito à familia

  58. luz 24/01/2014 às 02:03 #

    bastava a policia fechar esses gajos numa sala e borravam se todos na cueca. nao percebo como querem esconder o que realmente aconteceu.em relaçao há pessoa que andou a ameacar os alunos que n falassem ja que e tao mau pq nao da a cara…tristes e otarios…sao estes os jovens o futuro amanha?????se fosse o meu filho ia ter de contar a bem ou a mal garanto…pensem nas familias destes jovens

  59. Anónimo 24/01/2014 às 02:08 #

    Sou pai…o Dux que assistiu a tudo, os que estão acima dele…o conselho de praxe…depois de acabar o que teria.. que fazer eles falariam, nem que fosse a ultima coisa que eu fizesse…

  60. Anónimo 24/01/2014 às 02:29 #

    Fui à praxe, adorei. Vi muitos colegas fanáticos, e muito FANÁTICOS com as tradições académicas.. Eu não quis ser assim, fanática da praxe. Este tipo de praxe entre os mais velhos, ouvi falar ao longe sem nunca ter tido maior curiosidade sobre o assunto..

    Acho mal criticar-se a praxe em termos gerais, fazendo passar a ideia dos pobres e oprimidos que, sublinhe-se, só compactuam nas brincadeiras que querem e até na própria Praxe se quiserem. Vi também muitos que o recusaram e não sofreram quaisquer represálias. Eu própria recusei brincadeiras sem um pingo de represália.

    Irrita-me que todos falem como se estes jovens (adultos!) tivessem sido manipulados. Na verdade, acredito que foram pessoas que seguiram as tradições académicas religiosamente, tal como os próprios pais o disseram à comunicação social.. Responsáveis ou culpados, na minha opinião foram todos, independentemente do destino que tiveram.. Todos fizeram por concretizar aquela brincadeira inconsciente com um fim tão trágico.. Não cabe a nenhum de nós julgar o dito Dux, os pais do dito Dux e falar na 3ª pessoa ‘se fossem’ os pais da alguma vítima! Falar é muito fácil..

  61. Anónimo 24/01/2014 às 02:39 #

    Acreditam no pacto de segredo de uma faculdade (quantas pessoas?!)
    Acreditam q o sobrevivente foi pra Lusófona contar aos outros a triste ideia e que entre miúdos de 20 anos ninguém desse com a língua nos dentes? Por favor…….
    Não conheço o meio, mas epa…. Acreditem tanto na comunicação social como no Pai Natal.. Já se está a exagerar um bocadinho!

  62. Rute Fonseca 24/01/2014 às 03:36 #

    Para que não digam que o meu comentário perde a credibilidade por ser anónimo, como já li sobre alguns (não meus), deixo-o aqui em baixo, assinado por mim.
    Referindo-me a tudo o que já li:
    A PRAXE já existe à muitos anos, em todo o mundo, não é uma coisa de agora… e varia muito de sitio para sitio, aqui no norte a praxe é diferente, eu sou praxista e só vai à praxe quem quer e porque quer e gosta, não há “atos violentos” como lhes têm chamado, aqui incentivamos à união, respeito e entreajuda…acreditem se quiserem, mas é verdade. Eu sei muito pouco ou nada sobre esta situação, mas segundo percebi eles já eram veteranos e eram da comissão de praxe (eles próprios já praxavam os caloiros, seria por não gostarem ou estarem contra aquilo?), por isso nem é considerado uma praxe porque são todos das mesmas idades e nenhum é caloiro. Quanto a responsabilidades, não são todos eles, que estiveram lá, responsáveis? São, já eram adultos e escolheram ir para ali, com certeza que ninguém os obrigou a nada… Claro que se quer apurar a responsabilidade, mas só porque houve 1 sobrevivente! Se ele deveria falar? CLARO que deveria, para esclarecer tudo o que aconteceu e as famílias saberem exatamente como se sucederam os acontecimentos…mas não vale a pena apontar dedos, só ele sabe o que se passou, mas dizer-se que os empurrou para a morte ou que se lhe deve fazer o mesmo? desculpem, mas acho que está errado, precisamente porque não se sabe o que aconteceu… pensem que ele passou por aquilo tudo, tentou chamar ajuda e mesmo assim, os amigos foram levados pelo mar, como se sentiriam? estariam com todas as vossas capacidades mentais? Eu não estaria… Os noticiários e jornais dizem muita coisa, mas como podemos saber se é tudo assim?Já pensaram que isso também perturba o jovem sobrevivente? Não estou a tentar de forma nenhuma defendê-lo, até porque como já disse, acho que deveria mesmo falar e é fundamental, mas penso um pouco também como ele deverá estar com todo este mediatismo em torno dele, depois de ter assistido ao que assistiu… Pensem nisso um pouco.

  63. Anonimo 24/01/2014 às 03:53 #

    Estou a tua espera na lusofona para ver se tao valente como es atras de um computador!!

    • Rafael 24/01/2014 às 17:33 #

      Diz lá a verdade… não estás nada, tanto não estás que o teu nome é anónimo… 😉

      Diz lá quem és, diz lá…

      (E não querem ser considerados crianças… oh my…)

  64. Ana 24/01/2014 às 05:43 #

    E achava eu q ja tinha visto tudo! Tanta estupidez q fico sem vontade de dizr nada.. quem merecia porrada sei eu bem quem seria!!

  65. Mirone 24/01/2014 às 08:43 #

    Duas ou três coisas:
    1. “ah e tal, palhaços, não falem do que não sabem!”
    Então quem sabe que venha aqui explicar tudo. chamar palhaço fazer ameaças não me parece suficiente ou útil para esclarecer a confusão que aqui snda.
    2. “estúpidos, imaginem o sofrimento do Dux e dos pais. Calem-se mas é!”
    Então e os pais dos alunos que morreram, não merecem respeito. Ou, por serem O Dux e os pais “valem” mais?
    3. “parto-te a boca toda, tu é que devias levar um malhadão de porrada!”
    Nem sei se comente. Sugerir porrada como forma de criticar quem defende um valente enxota moscas aos meninos envolvidos, parece-me vá, como é que eu hei-de dizer isto, estúpido? “porrada é inadmissível, mereces uma porrada”.

    Factos, tens aqui um blog para lá de supimpa, até há gente que o leva a sério! :DDDDDDD

  66. Marisa. 24/01/2014 às 09:38 #

    Gostava imenso de perceber, porque é que passado 1mes da tragédia, agora é que ele vem dizer que sofre de amenesia!!
    Nenhum dos familiares está contente com esta situação de ele nao querer sequer dar a cara, pode estar a sofrer, pode, mas mais estão a sofrer as famílias por nao saber o que realmente aconteceu naquela noite, porque um senhor, se decidiu ficar em casa, e os restantes fazerem um pacto de silencia, que isso nao cabe na cabeça e ninguem!!
    Como explicam tambem as roupas deles estarem todas arrumadas na manha aseguir ao acidente? Ninguem sabe explicar isso?? O que foi feito desse DUX, depois de ligar para o Inem? O que fez ele? Foi a correr para casa? Porra!! Dêem respostas, pois já chega de sofrimento.

  67. Anónimo 24/01/2014 às 12:00 #

    Estes provavelmente serão alguns os futuros ministros deste pobre país se estamos mal vejam o que nos reserva o futuro governados por estes cromos

    • Fernandes 24/01/2014 às 12:41 #

      Sou aluno da Lusófona, conhecia os intervenientes, e não há nenhum pacto de silêncio! O Dux vai prestar declarações sobre o que se passou e não deve haver nenhuma especulação à parte disso. A todos os ignorantes que insultam a Lusófona e os respectivos alunos, cresçam e saibam quando estar calados, pois não sabem do que falam e adoram falar mal de estudantes que se esforçam muitos mais do os da Universidade pública nalguns casos para provar melhores conhecimentos e experiência para calar pessoas como vocês, que a maioria das vezes nem passaram do secundário e só vivem para criticar! As minhas condolências às famílias….

      • Mirone 24/01/2014 às 13:35 #

        Ó Fernandes, reveja lá isso de a “maioria de vocês” nem sequer terem passado o secundário. É que fiquei com a ideia de que a maioria dos comentadores até é ou foi estudante da Lusófona. Faça lá isso que diz que tem de fazer, esforce-se mais.

        Factos, gosto cada vez mais do pardieiro 😀

        • Factos de Treino 24/01/2014 às 14:25 #

          Isto está bom está… e sim, pode não ser um orgulho por aí além mas também não envergonha ninguém. A formação deste pardieiro, tal como o Relvas, também passou pela Lusófona (mas durou os 4 anos da… wait for it… praxe!!).

        • Anónimo 24/01/2014 às 15:33 #

          És o meu herói. Mirone! 😀

      • Rafael 24/01/2014 às 17:35 #

        Relvas, és tu???

        Pelo “esforço suplementar” que falas… meu malandro, só podes ser tu… 🙂

  68. Carmen Cruz 24/01/2014 às 15:23 #

    Se um desses jovens fosse meu filho ou irmão esses filhos da PUTA não se ficavam a rir qual pacto de silêncio qual merda levava os lá para o meio do mar e deixava os lá ate contarem a verdade e esses colegas de merda metem nojo só espero que um dia não seja um irmão deles a sofrer ou mesmo morrer.Esse sobrevivente eu arrancava lhe as unhas ate ele falar pois ele é o único que sabe a verdade tem vergonha rapaz os teus pais do desgosto já não se livram pois tem um filho assassino que leva esses jovem para a beira da praia já com essa intenção.

  69. Paulo Carvalho 24/01/2014 às 15:49 #

    Atenção são estes os futuros anormais que vão substituir os actuais, que vão sentar as peidas sebosas no parlamento daqui a uns anos…Portanto carreguem…

  70. Paulo Capelo 24/01/2014 às 16:41 #

    Será isto verdade, ou alguma invenção?

    “Os sete estudantes da Universidade Lusófona, que se encontravam a passar um fim de semana no Meco, foram avistados a rastejar na terra, com pedras presas aos tornozelos, no dia da tragédia que viria a tirar a vida a seis dos jovens.

    Tudo aponta, pois, para que a explicação para a morte dos seis universitários se prenda com ritos académicos. Aliás, de acordo com a RTP, que recolheu declarações de alguns universitários, sob a condição de anonimato, antes de serem levadas pelo mar, as vítimas estariam de costas voltadas para a água à medida que respondiam a perguntas do Dux (que liderava a praxe e, por sinal, único sobrevivente da tragédia). Ora, a cada resposta dada correspondia um passo atrás, até atingirem o mar.”
    Fonte:
    http://www.noticiasaominuto.com/pais/163745/estudantes-vistos-a-rastejar-com-pedras-nos-pes-no-dia-da-tragedia#.UuKVC_up1iw

    • Factos de Treino 24/01/2014 às 16:57 #

      Pronto. Está o caldo entornado!

    • Mirone 24/01/2014 às 18:00 #

      Gosto da frase da notícia que diz “ainda que lhe tenha sido prescrito um diagnóstico de amnésia seletiva”. Deve ter sido qualquer coisa como “Pronto, agora vai para casa e toma um comprimido de amnésia selectiva de 12 em 12horas, até ao fim da caixa – não interrompa, mesmo que se sinta melhor – e depois volta cá para ser reavaliado.”

  71. Anónimo 24/01/2014 às 20:34 #

    O que ninguém percebe é que querem tanto arranjar justificação para um acidente que tanto poderia ter acontecido com estudantes universitários como com alunos do secundário ou pessoas que nem sequer estudam que a única hipótese é culparem as praxes, se eram o orgão mais alto e praticaram algum tipo de praxe foi por pura diversão ou brincadeira ninguém de certeza absoluta os obrigou a nada, ainda pra mais sendo um grupo de 7 pessoas amigas.
    Cuidem de respeitar o silêncio de quem cá ficou até que ele se sinta preparado, de certeza que as famílias que tanto estão a sofrer por este infeliz acontecimento não fazem nem de perto nem de longe a pressão que todas estas conversas e comunicação social suscitam. Mais tarde ou mais cedo vai-se saber a verdade, e a única pessoa que pode responder a tal, nunca eu tendo passado por algum incidente semelhante não imagino a dor que seja e o trauma que tenha causado.

    Respeitem acima de tudo as pessoas envolvidas.

  72. ur life 24/01/2014 às 23:05 #

    o que me mete mais piada no meio disto tudo sao certas pessoas que nao têm noção da gravidade da situação nem noçao do que dizem! pois eu tmb conhecia uma das vitimas e por isso mesmo acho que isto serviu mais de que lição! tudo tem um limite e este foi passado!!! meninos a quebrarem silencio?! enfim juventude na adulescencia sem miolos para penssar, se acham que a merda da praxe ensina a algo entao esperem pelo resto das vossas vidas para ver o que realmente a vida vos vai enssinar! a que ser humanos, e parar para penssar, e certos comentarios infantis sem saber do que falam dao realmente a volta ao estomago!!

  73. ermo 25/01/2014 às 09:40 #

    É incrível que ninguém ainda tenha percebido o que aconteceu naquela noite: o pacto de silêncio é óbvio: os 7 combinaram SUICIDAR-SE, mas 1 cortou-se à última hora! É claro que esse carregará a falta de tomates para toda a vida!
    Caramba pessoal, como é que 7 adultos (sim, com 20-23 anos é-se adulto ao ponto de se recear um mar revolto) se aproximaram para além do razoável? A menos que fossem todos uns montanheses que foram ver o mar pela 1ª vez! Mas, à 1 da manhã, com um frio do crlh, o que se vê? Nada.
    Minha conclusão: tratou-se de um SACRIFÍCIO colectivo à moda dos Incas ou dos Maias, para ficarem para a história dos Universitários mais corajosos… excepto um, que ficou sem memória agora lol !!

  74. Paulo Capelo 25/01/2014 às 10:24 #

    O suposto pacto de silêncio, ou o que quer que seja, está a demoronar-se!
    Afinal havia mais alguma coisa que alguns sabiam e era disto que eu falava e que queria que os vários participantes neste blog e que são da Lusófona revelassem.

    http://www.tvi24.iol.pt/503/sociedade/meco-ana-leal-lusofona-universidade-tvi24/1531527-4071.html

  75. Maria Alvarez 25/01/2014 às 10:35 #

    Não era preciso bater. Bastava abrir os olhos e eles borravam-se todos.

  76. helena 25/01/2014 às 18:24 #

    Porque nem tudo é o que parece…. é o que diz o inicio do teu blog, lá no cabeçalho… se calhar devias pensar nisso e não absorver tanta noticia dos media… A linguagem é um bocado grosseira não te parece? Esta história está-se a transformar-se num autentico Twin Peaks …

  77. Tete 26/01/2014 às 00:56 #

    Depois de seguir de perto os desenvolvimentos deste caso, apesar de achar que o sobrevivente deve explicar o que se passou, acho que já sabemos o que se passou.
    Estavam a fazer parte de um ritual de praxe de costas para o mar, em que sempre que erravam as perguntas davam um passo atrás.
    Deram passos atrás demais e foram levados.
    O sobrevivente não foi porque estava a reger o ritual.
    Apesar de lamentar pelos pais, tiveram aquilo que a sua estupidez, idiotice, falta de cérebro e nem sei mais o que dizer, lhes deu.
    Sim, porque só idiotas se sujeitam a estes rituais idiotas para fazerem parte de uma comissão de praxe.
    O espírito académico morreu para dar lugar a um monte de idiotices com o único propósito de rebaixar os outros.
    A única coisa de bom desta situação é que pelo menos estes idiotas já não vão fazer outros passar pelo mesmo

    • Anonimo 26/01/2014 às 21:35 #

      Haverão outros para o fazerem…É este o país em que vivemos!

  78. Anónimo 11/06/2014 às 13:35 #

    Belo pardieiro…

    E desenvolvimentos?? Ou ficou tudo pelo alegado “pacto de silêncio”?

    Um abraço

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: